JUSTIÇA

Polícia Federal conclui inquérito sobre briga com Alexandre de Moraes em aeroporto de Roma

Texto apontou injúria contra filho, mas não indiciou ninguém

Por JORNAL DO BRASIL
[email protected]

Publicado em 15/02/2024 às 18:25

Alterado em 15/02/2024 às 19:13

Alexandre de Moraes, presidente do TSE Reuters/Adriano Machado

A Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito sobre a briga entre a família do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e uma família do interior paulista em julho de 2023 no Aeroporto de Roma.

A polícia afirmou que Roberto Mantovani Filho cometeu crime de injúria contra Alexandre Barci de Moraes, filho do ministro, mas não indiciou ninguém.

Segundo a PF, as imagens registradas pelas câmeras do aeroporto mostram o momento em que Mantovani Filho se dirige a Barci de Moraes e o atinge no rosto, deslocando seus óculos.

A polícia destacou que o gesto foi revidado, até que um homem se colocou entre os dois.

"Tal conduta se amolda ao tipo penal da injúria real, que se caracteriza pelo emprego de violência ou vias de fato para ofender a dignidade ou o decoro de alguém”, escreveu a PF.

A defesa de Mantovani afirmou que houve um desentendimento verbal e negou que o empresário tivesse começado as ofensas.

As imagens fornecidas pelo aeroporto italiano não continham áudio, prejudicando a apuração, ainda segundo o inquérito.

A justificativa para não pedir o indiciamento foi o fato de se tratar de crime de menor potencial ofensivo ocorrido no exterior.

O inquérito será enviado ao STF, onde o caso está sob a relatoria do ministro Dias Toffoli. (com Ansa)

Tags: