INFORME JB

Por Jornal do Brasil

[email protected]

INFORME JB

Ipanema perde padaria centenária

...

Por GILBERTO MENEZES CÔRTES
[email protected]

Publicado em 10/01/2024 às 18:15

Alterado em 11/01/2024 às 18:27

Fachada da Padaria Ipanema Foto: Gilberto Menezes Côrtes

A centenária Padaria de Ipanema, um dos mais antigos negócios do bairro, está com os dias contados. Vai fechar para dar lugar a mais um empreendimento imobiliário da construtora Mozak, na esquina das ruas Visconde de Pirajá e Joana Angélica.

O negócio foi confirmado ao JORNAL DO BRASIL pelo atual dono da Padaria e Lanchonete Ipanema, o português Severino Martins Alves. Ele está há seis décadas à frente do negócio criado pela família em 1917 quando estava sendo concluída a Igreja Nossa Senhora da Paz, na mesma esquina.

O proprietário Severino Martins Alves Foto: Gilberto Menezes Côrtes

Severino adiantou que já está tirando as certidões para fazer a escritura do imóvel, que tem 200 metros quadrados (10 metros de frente por 20 metros de largura). Pelo zoneamento da prefeitura, a área edificável terá de sofrer recuo na esquina e na lateral.

A construtora Mozak tem liderado as novas construções imobiliárias em Ipanema, Leblon, Gávea, Jardim Botânico e Botafogo. Alguns dos empreendimentos, como o da Visconde de Pirajá, 529, são feitos em parceria com o Fundo Imobiliário do Opportunity, outro grande investidor na Zona Sul.

'Home office' fortaleceu os bairros

Após mais de duas décadas no prédio da Academia Brasileira de Letras, na avenida Presidente Wilson, e de ter investido em imóveis no Centro, com o esvaziamento da região pela adoção do “home office” na pandemia da Covid-19, o Banco Opportunity, fundado por Daniel Dantas, seguiu a tendência de fortalecimento de alguns bairros como ponto de negócios, residência e lazer, e se instalou, há dois anos, no edifício Forum de Ipanema, na Praça Nossa Senhora da Paz, ao lado da igreja.

Lá no alto, com visão de 360 graus, vislumbra oportunidades imobiliárias na vasta região de Ipanema, Leblon, Lagoa, Gávea e Jardim Botânico. A área da padaria é uma das vistas privilegiadas dos gestores do fundo imobiliário, que tem quase dez projetos em andamento em Ipanema, alguns com a Mozak, outros com a SIG.

Belmonte fez oferta

Severino Martins Alves confirmou ter recebido proposta do dono da rede Boteco Belmonte, Antônio Rodrigues. O negócio não foi adiante porque Rodrigues queria alugar o ponto e a proposta da Mozak “era mais vantajosa”.

Se fechasse o negócio, Antônio Rodrigues seria o rei de Ipanema. Depois de instalar o novo Belmonte na esquina de Farme de Amoedo com a avenida Vieira Souto, em Ipanema, Rodrigues comprou há um mês o restaurante ao lado para instalar uma casa de massaS voltada a público mais sofisticado.

O cearense de Hidrolândia pretendia explorar a crescente onda de “happy hours” em Ipanema. Ele conta hoje com duas dúzias de casas, no Rio, São Paulo e Portugal. Ao lado da expansão da Rede Belmonte, relançou dois ícones da cidade, o Amarelinho, na Cinelândia, e o Cervantes, em Copacabana. No fim de 2023, comprou o Restaurante Paz e Amor, na esquina de Garcia D’ Ávila com Nascimento Silva, que entrará em reforma após o Carnaval.

Memória do bairro

Severino Martins Alves fez questão de mostrar duas fotos que atestam a instalação da Padaria e Lanchonete Ipanema nos primórdios do bairro, junto com a abertura das ruas Visconde de Pirajá e Joana Angélica, e a construção da Igreja Nossa Senhora da Paz, defronte à praça com o mesmo nome.

A Igreja N.S. da Paz em foto de 100 anos; ao lado esquerdo da foto, na esquina, o imóvel onde se instalou a Padaria Ipanema Foto: reprodução
Enquanto as certidões negativas estão sendo levantadas junto aos Registros de Imóveis e cartórios da cidade, Severino, com mais de 80 anos, segue atuante na padaria. Ele ainda entretém os fregueses com um cafezinho ou toma conta de um dos caixas, onde vende as fichas dos produtos e cigarros aos fumantes.

Os fregueses seguem comprando pães, biscoitos, doces e artigos para lanches, como queijos e frios, além do tradicional cafezinho, alheios à notícia agora publicada em primeira mão pelo Informe JB.

Resta a Santa Marta

Com o fim da mais antiga padaria de Ipanema, bairro onde as congêneres sofrem a concorrência dos pães produzidos pelos supermercados, que passaram a operar aos domingos (até os anos 80 privilégio das padarias), só restou a tradicional Santa Marta, na esquina de Farme de Amoedo com Nascimento Silva.

Para concorrer com os supermercados, surgiram novos conceitos de padarias ao estilo francês, como a Baker’s, na esquina de Farme de Amoedo com Visconde de Pirajá, e o modelo italiano da Nema, presente na Vinícius de Morais e na Visconde de Pirajá, próximo ao Bar 20.

LEIA MAIS

Belmonte sobe proposta e pode levar padaria

 

Tags: