Desinfecção das ruas é um método eficiente no combate à COVID-19?

Na luta contra o coronavírus, diversas cidades adotaram a desinfecção de ruas e espaços públicos. Porém, a eficácia desse método levanta dúvidas.

"Todos os dias até o fim do confinamento" as equipes de limpeza municipais da cidade francesa de Cannes vão desinfectar metodicamente as ruas e espaços públicos da cidade para combater a propagação da COVID-19, anunciou a plataforma CannesWebTV.

Agentes equipados com máscaras de proteção efetuam a limpeza das calçadas pulverizando uma solução à base de água sanitária. A prefeitura assegura que o vírus será eliminado em 15 minutos graças ao produto.

Outros países como a Síria, Irã e Egito adotaram esta estratégia. Por exemplo, as ruas de Damasco, capital da Síria, são desinfectadas desde o anúncio do confinamento da cidade.

No entanto, a eficácia deste método não está totalmente comprovada, indicam a Cnews e a associação sem fins lucrativos UFC-Que Choisir.

'Uma falsa segurança'

Segundo alguns estudos, o vírus pode persistir em superfícies de metal, plástico ou vidro, permanecendo ativo por vários dias. Ao mesmo tempo, o risco de contaminação após o contato permanece baixo.

"É uma falsa segurança", estima o professor Pierre Dellamonica, antigo chefe do Serviço de Doenças Infecciosas e Tropicais do Centro Hospitalar Universitário de Nice, citado pelo canal France 3. "É um pouco como uma cortina de fumaça diante dos olhos das pessoas. É melhor recomendar que fiquem em suas casas, evitem contato e sigam meticulosamente as recomendações.