Verão 2020: as florestas e o clima

Por mais que seja anunciado o fim da Alta Costura ou que os desfiles sejam considerados ultrapassados, as semanas de moda continuam acontecendo. Melhor ainda: continuam impondo tendências, outra palavra execrada por alguns especialistas. Nem sempre são previsões de cores que virarão mania, ou de comprimentos e decotes. A moda reflete a evolução da sociedade civilizada, em geral consumidora.

Tendência do verão 2020

As semanas de moda mais importantes acontecem no hemisfério norte, onde o verão 2020 chegará às vitrines a partir de março, dependendo do sucesso das liquidações de inverno. O que pode ser considerado destaque a partir das coleções vistas em Nova York, Londres, Milão e Paris? A principal é a profecia ditada pelo XR, que não é um logo impresso em camisetas ou bolsas. São as iniciais de Extinction Rebellion, o movimento internacional que se manifesta contra as mudanças do clima. Como a moda é considerada uma das indústrias mais poluidoras, o XR tentou impedir a realização da semana de desfiles de Londres. Já que a organização do evento desprezou o pedido, grupos de ativistas deitaram em frente aos locais de desfiles, algumas vezes sobre poças de sangue fake, referência contra o uso de couros animais nas roupas.

Macaque in the trees
Ativistas da campanha Extinction Rebellion se jogaram no chão durante a semana de moda londrina (Foto: Divulgação XR)

Outra tendência: tranças nos cabelos. Graças à Greta Thunberg, a sueca de 16 anos que tem discursado e participado de encontros internacionais sobre as mudanças climáticas, o estilo trançado apareceu no desfile da Dior. A designer Maria Grazia Chiuri, a pretexto de lembrar de Catherine Dior, irmã do estilista, como ele, apaixonada por jardins, montou uma floresta de 164 árvores como cenário do desfile em Longchamp (local de corridas de cavalos em Paris). "Sempre me questiono sobre o papel de uma mente criativa nesta situação tão complexa. Como uma pessoa ativa, não quero apenas desenhar roupas inspiradas em flores e jardins e ignorar o resto. Faz mais sentido apelar para a consciência das pessoas do que apenas lançar uma camiseta com propósitos de marketing", declarou Maria Grazia.

Macaque in the trees
Uma floresta com 164 árvores cercou o desfile de verão da Dior (Foto: Divulgação/Dior)

Carbono não é cor

O cinza escuro, próximo do carvão, é um dos tons favoritos dos looks modernos. Só é superado como tema pelos esforços pela redução das emissões de carbono. O poderoso grupo Kering, que inclui Gucci, Bottega Veneta, Saint Laurent, Alexander McQueen, Balenciaga, Stella McCartney, Boucheron, entre outras marcas, conseguiu reduzir em 11% as emissões de CO2, 19% no consumo de água (principalmente na produção e tinturaria do jeans). Nos couros, adota métodos de curtume sem cromo nem metais. Com exceção de Stella McCartney, que nunca empregou couro animal nas coleções.

Macaque in the trees
A modelo Doutzen Kroes, defensora dos elefantes, vestiu modelo de seda sem pesticidas na premiação da Max Mara (Foto: divulgação Max Mara)

Reação de Milão

A Eco-Age, consultoria que encoraja e ajuda marcas a serem mais sustentáveis, colaborou com a Camera Nazionale della Moda Italiana, promovendo a Green Carpet Fashion Awards no Teatro Scala de Milão. A grife Max Mara recebeu o prêmio de sustentabilidade pelo CameLuxe, tecnologia isolante ultra-fina reciclada como forro dos casacos. A modelo Doutzen Kroes representou a Max Mara com um longo assinado pelo diretor criativo Ian Griffiths. A blusa, saia e casaco eram de seda orgânica que evita o uso de pesticidas químicos. A holandesa Doutzen criou a campanha Knot on my Planet, para salvar os elefantes em extinção e acabar com o comércio ilegal de marfim.

Também em Milão, a plateia da Marni sentou em bancos de papel-cartão sob uma floresta de plástico reciclado, feita de material descartado. O designer Francesco Risso usou tecidos reciclados, algodões orgânicos e couros recuperados.

Versões brasileiras

Conhecida por valorizar plantas da Amazônia nas fórmulas de seus produtos de beleza, sustentando populações da região e pelo reflorestamento da nascente do rio Xingu, a Natura acaba de receber o Prêmio 2019 UN Global Climate Action Award, pela ONU (Organizacão das Nações Unidas) pelo programa de carbono neutro. Durante o evento Climate Week em Nova York, Keyvan Macedo, gerente de sustentabilidade da Natura, declarou que "este reconhecimento tem o poder de inspirar a adoção de ações também por outras empresas para que, no futuro, a emissão de carbono na atmosfera seja zero" .

Macaque in the trees
Manifestantes com cartazes falando sobre a verdade feia da moda em Milão (Foto: Divulgação)

O edital lançado pela Osklen em parceria com o Senai-Cetiqt abre inscrições até o dia 10 de outubro para o programa de aceleração de ações sustentáveis para calçados. Cadarços, entretela, biqueira, contraforte, palmilha, espuma de estrutura, forro, solado, e adesivo devem ser alinhados com conceitos de sustentabilidade social, econômica e ambiental. Oito projetos serão selecionados para receber aporte financeiro e consultoria para o desenvolvimento dos produtos.

"Inovação e sustentabilidade sempre estiveram presentes e foram fundamentais na trajetória da Osklen. Temos agora a maior satisfação em ampliar seu alcance, incentivando o surgimento de novos talentos e sua inclusão no universo da moda de vanguarda criada no Brasil. " comenta Oskar Metsavaht, diretor de criação da Osklen.

Estas tendências mostram a preocupação de manter o planeta saudável. O que não impede a criacão da moda com todos os seus apelos de arte, originalidade e beleza. Sempre como um fiel reflexo dos acontecimentos fora dos guarda-roupas.

Macaque in the trees
A jovem Greta Thunberg inspirou os penteados de tranças da Dior (Foto: Divulgação/Dior)

Macaque in the trees
Tecidos orgânicos e o couro reciclado desfilaram na Marni para plateia em bancos de papelão (Foto: divulgação Marni)



Ativistas da campanha Extinction Rebellion se jogaram no chão durante a semana de moda londrina
Uma floresta com 164 árvores cercou o desfile de verão da Dior
A modelo Doutzen Kroes, defensora dos elefantes, vestiu modelo de seda sem pesticidas na premiação da Max Mara
Manifestantes com cartazes falando sobre a verdade feia da moda em Milão
Tecidos orgânicos e o couro reciclado desfilaram na Marni para plateia em bancos de papelão
A jovem Greta Thunberg inspirou os penteados de tranças da Dior