'BBB12': Polícia abre inquérito para apurar estupro no BBB

Daniel foi acusado por internautas de ter abusado de Monique

Depois da polêmica envolvendo um possível estupro na 12ª edição do Big Brother Brasil, o delegado Antonio Ricardo, titular da 32ª DP (Taquara), instaurou inquérito para apurar o caso. Na primeira festa da edição, Daniel e Monique foram os mais falados, isso porque caiu na internet um vídeo gravado por espectadores que possuem pay per view de cenas "quentes" em que os dois estão debaixo do edredom.

Depois disso, no Twitter, os nomes dos dois entraram para os Trending Topics, bem como o hashtag #DANIELexpulso. No domingo (15), quando a Globo mostrou as cenas da festa do dia anterior, a polêmica passou rasteira e as cenas dos dois brothers foi editada.

No dia seguinte, Monique chegou a ser chamada no confessionário e questionada se o que havia acontecido na noite anterior teria sido consensual. Ela disse que sim, mas admitiu para Analice que não se lembrava bem da noite anterior.

"Me chamaram para perguntar se tínhamos feito alguma coisa. Eu sei que não fiz, mas começo a pirar. Será que eu fiz? Será que não? Estou muito mal com isso", disse.

Daniel, por sua vez, negou qualquer abuso. "Nós nos beijamos no quarto e nos agarramos no edredom com a cabeça para fora", argumentou o modelo. 

Apesar de não ter visto as cenas, pelo entendimento do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil da secção Rio (OAB-RJ), Wadih Damous, é possível ter havido estupro.

"Se ficar caracterizada privação de sentido pela bebedeira, sem que ela pudesse se defender e sem consentimento, pode ser considerado estupro", afirma, em entrevista à Veja. "Se um homem se vale de momentânea imobilização de uma mulher dopada por remédio ou álcool, ainda que não tenha havido agressão, é possível caracterizar como estupro", explica.