Prêmio Empreendedor Social recebe inscrições até 10 de maio

Benefícios aos finalistas superam R$ 300 mil

Os líderes e empreendedores inovadores que atuam em áreas estratégicas para a transformação social têm até 10 de maio para concluir a inscrição no Prêmio Empreendedor Social, principal concurso de empreendedorismo socioambiental da América Latina e um dos mais concorridos do mundo. Além de chancela e visibilidade, vencedores e finalistas receberão benefícios – por meio de 28 parceiros da iniciativa – que superam os R$ 300 mil.

Criado em 2005 pela Folha de S. Paulo e Fundação Schwab, o Prêmio Empreendedor Social busca criadores de projetos inovadores, com mais de três anos de atuação, em áreas como Saúde, Educação, Tecnologia Assistiva e Meio Ambiente. Os gestores de negócios e líderes sociais que estão em fase inicial da iniciativa (de um a três anos), por sua vez, podem se inscrever para a 9ª edição do Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro.

Há 13 anos, o Prêmio Empreendedor Social premia e fomenta a atuação dos líderes socioambientais mais empreendedores do Brasil, que desenvolvam há mais de três anos iniciativas inovadoras, sustentáveis e com comprovado impacto socioambiental. Além de projetar nacional e internacionalmente esses líderes, a Folha de S. Paulo e a Fundação Schwab – correalizadora do Fórum Econômico Mundial de Davos e idealizadora da premiação no mundo – oferecem um alto nível de qualificação e networking, viabilizando aos premiados a conquista de maiores e melhores indicadores em sustentabilidade, impacto social direto e indireto, influência em políticas públicas e escalabilidade para os projetos. De 2005 a 2016 o Prêmio Empreendedor Social contou com quase 3 mil inscritos, um recorde da premiação no mundo.

“Ao longo de todos esses anos, a Folha tem reconhecido líderes sociais, pessoas à frente de iniciativas que se tornam mais necessárias e desafiadoras em tempo de crise, como o nosso”, afirma Sérgio Dávila, editor-executivo do jornal. “Assim como nos demais setores da economia, o terceiro setor e o ecossistema de negócios de impacto social também se ressentem da falta de recursos e investimentos.” Dávila ressalta que a premiação busca candidatos que estejam produzindo impacto social em áreas como educação, saúde, inclusão, segurança, desenvolvimento humano e meio ambiente.

“Cultivamos uma comunidade global de empreendedores sociais pioneiros, que estão de forma sistêmica gerando as soluções mais inovadoras para os maiores desafios do mundo”, afirma Karen Demavivas, líder da Fundação Schwab para as Américas. ”E no Brasil temos identificado líderes que estão contribuindo de modo expressivo para o desenvolvimento de suas comunidades em todos os setores da sociedade e da economia no país.”

O Prêmio Empreendedor Social tem patrocínio de Coca-Cola, Vivo e IEL (Instituto Euvaldo Lodi), uma iniciativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria). Conta com a Latam como transportadora oficial e o apoio do Instituto C&A e da Porto Seguro, além da parceria estratégica da ESPM, FDC, Insper e UOL.