Saúde & Alimentação: Será que você está com deficiência de magnésio?

Novos pacientes muitas vezes vêm à minha clínica porque estão cansados de receber uma nova droga para cada sintoma que têm. Saiba que muitas vezes existem melhores soluções para manter a saúde e o primeiro passo é uma correção alimentar.

Apesar de muitos acharem que comem bem, na verdade nem sempre é isso que acontece. Graças às modernas técnicas agrícolas dos últimos 40 anos, cerca de 2 bilhões de hectares de solo foram desprovidos de nutrientes vitais. Com isso, cerca de 30% das terras cultiváveis do mundo agora são consideradas improdutivas.

É um contraste gritante do que os primeiros agricultores dispunham… Há cerca de 12 mil anos, iniciava-se a Revolução Agrícola, quando o solo ainda era repleto de nutrientes e as plantas continham como consequência riqueza nutritiva, com vitaminas, minerais e fitocompostos. Esses elementos têm o poder de combater as doenças atuais, como câncer, doenças cardíacas, Alzheimer, osteoporose e diabetes.

Atualmente, porém, com os solos espoliados, acaba-se comprometendo o conteúdo nutricional das plantas e, assim, temos falta de nutrientes em nossa alimentação. Hoje, um dos mais carentes é o magnésio, resultado direto do nosso mundo moderno. 

Há alguns anos, o Journal of American College of Nutrition publicou um estudo comparando o conteúdo de nutrientes das culturas em 1999 com os níveis de 1950. Os pesquisadores ficaram chocados ao descobrir que muitos vegetais haviam perdido até 90% de seu teor de magnésio. Portanto, não é surpreendente que quase 90% das pessoas sejam deficientes em magnésio hoje em dia. 

A importância do magnésio tem sido subestimada, só sendo associada à saúde dos ossos. Mas ele é responsável por mais de 300 reações bioquímicas no corpo. E quando não se tem o suficiente, seu corpo para de funcionar de forma eficiente. Seu sistema nervoso se torna lento, a inflamação silenciosa avança e o coração pode apresentar arritmias. De fato, pessoas com deficiência de magnésio correm maior risco de morrer de qualquer causa.

Como aumentar seus níveis de magnésio

Alimentação: Dietas modernas são ricas em grãos refinados e açúcar. O processo de refino remove até 97% de magnésio do grão e 100% do açúcar. E mais: os açúcares e os grãos não apenas estimulam os rins a excretarem magnésio, eles consomem nutrientes quando digeridos. Para cada molécula de açúcar que comemos, por exemplo, nossos corpos usam 54 moléculas de magnésio para processá-la. 

Para superar o déficit de magnésio, coma como os nossos ancestrais, que além dos vegetais colhidos de solo rico em minerais ingeriam carnes de órgãos, o que quase não ocorre hoje. Além disso, enfatize amêndoas, sementes de abóbora e cacau; abacate e figo; vegetais de folhas verdes, como espinafre, acelga e beterraba.

Suplementação de magnésio: É sempre aconselhável associar um suplemento de magnésio, pela dificuldade de se atingir níveis ótimos desse mineral. A maioria dos estudos científicos mostram benefícios em dosagens de 600 mg ao dia, em doses divididas. 

É também sabido que a vitamina B6 promove aumento de absorção do magnésio intracelular. O aconselhável é que converse com o seu médico para checar os seus níveis e buscar as opções para o seu caso. Fique atento ao magnésio e sua saúde só tem a ganhar. 

*Médico e nutrólogo