Meio ambiente somos nós

No dia em que o mundo comemora o Dia do Meio Ambiente, convido todos a uma importante reflexão, que considere a questão da sustentabilidade de forma mais ampla. Vamos nos debruçar sobre as ideias da médica e educadora italiana Maria Montessori. O sistema educacional criado por ela há 111 anos traz soluções inovadoras, ainda hoje, para os alunos do século 21, além de apresentar uma visão pioneira do meio ambiente. Para ela, a questão não se restringe ao ambiente físico em que vivemos e sim à sustentabilidade íntima de cada um de nós, seres humanos. 

A Educação Montessoriana baseia-se no respeito ao indivíduo e no desenvolvimento de valores e da autonomia do aluno. Trata-se de uma educação que não tem o foco unicamente no progresso intelectual e sim no todo. O método trabalha virtudes como responsabilidade, solidariedade e amor ao próximo. Não é possível pensar em sustentabilidade sem esses valores. A educação trata o indivíduo como alguém que irá contribuir para as mudanças positivas na sociedade, com base na ética e no saber cuidar, sempre atento à coletividade. 

Essa é a chamada Educação Cósmica. Cada gesto, cada palavra ou pensamento gera consequências e é fundamental que a educação formal seja capaz de ensinar a manter, preservar e restabelecer o equilíbrio da própria sociedade. 

A seriedade desse trabalho educacional tem como meta a formação de um homem responsável por si mesmo, pelo seu entorno e consciente de seu papel no mundo. Dignidade, responsabilidade intelectual e social são os traços que devem fazer parte do perfil do homem que surge após ter sido bem orientado em cada fase da vida. A esse homem, Montessori chamou “o homem cósmico”.

Nós, educadores Montessorianos, cuidamos da sustentabilidade do ser humano, pois essa é indispensável para o ambiente. Um indivíduo harmonizado consigo mesmo e com os outros é de suma importância. Para isso, promovemos encontros para conversar sobre o que preocupa os grupos, sobre atitudes não adequadas na convivência com o outro, para discutir problemas que tenham surgido, encontrar respostas e soluções juntos. A isso chamamos de “aprender a conviver”.

Essas atividades garantem um clima de paz e de compreensão entre alunos, professores e funcionários. É o princípio básico da sustentabilidade completa e profunda. Os pilares ditados pela Unesco, no século passado, pensando no século 21: aprender a ser e aprender a conviver fazem parte desse projeto que não pode ter fim. É um projeto de sustentabilidade que deve transcender época e propaganda. Deve ser transformado em projeto de vida.

* Psicopedagoga, diretora da Meimei Escola Montessoriana

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais