Henry Kissinger e Arraes

Em 1997, Henry Kissinger esteve em Pernambuco dando uma palestra na Bienal de Administração a convite do administrador de empresas Sergio Kano. 

Teve como tema “Globalização da Economia e Perspectivas do Brasil no Novo Cenário Mundial”. Já naquela época falou muito sobre a China como o grande destaque da economia mundial do século XXI e elogiou o potencial do Brasil de poder ser um líder emergente. 

Miguel Arraes estava presente à palestra e tomou café da manhã, no Palácio das Princesas, com Kissinger. Deu de presente a Arraes uma edição, em francês, do seu livro Diplomacia. Kissinger revelou, para a surpresa de muitos, que “estive aqui há 35 anos e vocês ainda têm o mesmo governador”. Era a segunda vez que ele esteve em Pernambuco. A outra foi em 1962. Na realidade, já estava preparando o golpe militar no Brasil.

O judeu americano Henry Kissinger foi um dos principais estrategistas da política americana dos últimos 30 anos. Foi um dos homens que idealizou os golpes militares na América Latina. Tem suas mãos na Guerra do Vietnã e em outros conflitos. Por ironia do destino, ganhou o Nobel da Paz. O livro O Julgamento de Henry Kissinger, de Christopher Hitchens, é um verdadeiro torpedo contra Kissinger e mostra que ele, na realidade, era o senhor da guerra.

O seu recente livro "Sobre a China" é imperdível. Como diz Kissinger, os EUA precisam compreender melhor o pensamento chinês para poder combatê-lo.

A nova estratégia militar dos EUA anunciada por Barack Obama tem ênfase na reafirmação da prioridade à região da Ásia – Pacífico, inclusive aumentando o poderio militar e naval americano na região. Os EUA também estão se aproximando mais da Índia e a desvalorização do dólar também tem a ver com o enfrentamento com a China.  

O livro de Kissinger e a nova estratégia militar americana são provas concretas da preocupação americana com a ascensão chinesa. É uma briga de gigantes, que são interdependentes. A China é o maior comprador dos títulos públicos americanos.  Contudo, não menosprezem o poder de resistência americana. A terceira guerra mundial é econômica e a briga do câmbio é uma das principais batalhas.

O encontro do estrategista americano e do líder pernambucano é um dos capítulos que estou escrevendo na biografia de Miguel Arraes.

 

Antônio Campos: advogado, escritor, membro da Academia Pernambucana de Letras e curador da Fliporto.

[email protected]