Uma pista de como poderá ser o brasão oficial do Papa Francisco

Monsenhor André Sampaio, único brasileiro a concluir o curso da Academia - uma espécie de Itamaraty do Vaticano - tem uma ideia de como poderá ser o novo brasão papal e divide sua aposta com a coluna.

O brasão seria baseado no lema episcopal de Jorge Bergoglio: a frase em latim do Evangelho de Mateus ‘Miserando atque eligeno’, que descreve a atitude de Jesus para com o publicano (considerado um pecador público) a quem “olhou com misericórdia e escolheu”. 

«Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: “Segue-me” (Mt 9,9) ». Ele não olhou para ele com os olhos do corpo, mas com o da bondade interior. Ele viu um publicano e, após lhe ter olhado com um sentimento de amor o escolhe – miserando atque eligendo - lhe disse: “Segue-me” ».

Nesta passagem da homilia, proferida por ocasião da festa litúrgica de São Matheus, em 21 de setembro, está contida a expressão escolhida por Jorge Mario Bergogliocomo lema episcopal: «Miserando atque eligendo».

O brasão episcopal do hoje Pontífice, além de trazer o lema, tem em seu centro, sobre um campo azul, o monograma de Cristo, apresentado na forma gráfica típica dos jesuítas, ordem à qual pertence Bergoglio. Aparecem, além disto, uma estrela e um cacho de uva. Como de costume, ao seu redor, o brasão é contornado por fitas dispostas em cinco linhas, indicando o cardinalato - como revela o galero vermelho, no alto -, com as 15 bordas vermelhas de cada lado.