No Jockey Clube Brasileiro, santo de casa faz milagre

O presidente do Jockey, Luis Eduardo da Costa Carvalho, mais uma vez demostrou sua inabilidade ética. Contratou a empresa Concremat para fazer uma vistoria e dar um laudo sobre o desabamento de um telhado da quadra de tênis e poliesportiva da sede da Lagoa,  em dezembro do ano passado. 

O diretor operacional da Concremat, contratada pelo presidente do JCB,  é ningúem menos do que Abdon Luiz Milanez Filho, que vem a ser vice-presidente do próprio Jockey Clube Brasileiro. 

O laudo, claro, inocenta o clube e culpa as condições climáticas pelo desabamento. O absurdo não para por aí. O acidente feriu gravemente o sócio Guilhermo Davies, que entrou com uma ação contra o clube. Davies, aliás, acaba de chegar dos Estados Unidos, onde médicos conseguiram fazer o que, aqui no Brasil, dava-se como impossível: reunir o membro escrotal à uretra, caso médico raríssimo e procedimento que só pôde ser realizado porque Davies é homem muito rico.

Na ocasião do acidente, que quase lhe custou a vida, Davies jogou-se sobre a estrutura metálica para, com seu próprio corpo, proteger a filha.