Dólar sobe acompanhando cena externa

SÃO PAULO, 16 de outubro de 2009 - Depois dos fortes ganhos recentes, os players devem aproveitar eventuais movimentos de ajustes externos para também fazer uma pausa. Assim, se ao longo do dia o viés negativo prevalecer nos mercados externos, o dólar pode continuar oscilando um pouco acima de R$1 ,70, avalia Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK corretora.

A moeda norte-americana abriu em alta de 0,82%, há pouco, a divisa era comprada a R$ 1,716 e vendida a R$ 1,718 com valorização de 1%. Analistas comentam que cresce a discussão no governo em torno da adoção de medidas que possam interromper a valorização acentuada do real.

As perspectivas de continuidade dos ingressos de recursos seguem fortes. Nesta semana, a demanda na emissão externa do Banco do Brasil (BB), de US$ 13 bilhões para uma oferta de US$ 1,5 bilhão, confirmou o entusiasmo dos estrangeiros em relação ao País. Da mesma forma, a Odebrecht concluiu uma captação de US$ 500 milhões em bônus de dez anos, valor que inicialmente seria de US$ 300 milhões, mas a demanda elevada, de US$ 2,5 bilhões, justificou uma emissão maior.

No campo corporativo, o banco norte-americano Bank of America (BofA) anunciou hoje prejuízo líquido de US$ 1 bilhão (US$ 0,26 por ação) no terceiro trimestre deste ano, ante um lucro líquido de US$ 1,2 bilhão (US$ 0,15 por ação) observado no mesmo período de 2008.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)