Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Agosto de 2017
Rock in Rio 2011

Assaltos, roubos e ingressos falsos marcam início da 2ª noite do Rock in Rio

Jornal do BrasilMaria Luisa de Melo

Depois de um primeiro dia marcado por casos de roubos, a segunda noite do Rock in Rio começa com a repetição dos problemas. Até as 20h45 deste sábado, cerca de 50 pessoas já lotavam os dois contêineres do Juizado Especial Criminal (Jecrim) para registrar boletins de ocorrrência. A maioria dos casos era de furto e roubo, alguns com violência. Havia também reclamações de pessoas que adquiriram ingressos falsos nas proximidades do Terminal Alcvorada, na Barra da Tijuca, e na Avenida Salvador Allende, no Recreio dos Bandeirantes.

>> Rock in Rio aumenta segurança após queixas de furto

>> Autêntico, Capital Inicial critica política e José Sarney

>> Rihanna agradece o público e diz: "nunca vou esquecer"

>> Minoria na Cidade do Rock, fãs do Nx Zero reclamam de preconceito: "Não somos emo"

Ao menos duas pessoas foram detidas por agentes que fazem a segurança interna do festival, e conduzidas à 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes). Uma delas é uma jovem, acusada por cinco testemunhas de roubo. Com ela foram encontrados cerca de R$ 400 e muitos cartões e documentos.

Entre as vítimas, duas pessoas que não são do Rio estavam revoltadas, e sem condições de voltar para seus estados. O turista paranaense André Delano, de 27 anos, disse que foi furtado apenas 50 minutos depois de ter entrado na Cidade do Rock. Ele teve sua carteira com documentos e o RioCard levados, além dos R$ 200 que trazia consigo.

"Vim apenas para assistir ao show do Red Hot Chilli Peppers, e, ao passar pela multidão, levaram todos os meus pertences", disse Delano. "Rasgaram o meu bolso e levaram tudo, apenas 50 minutos depois de eu ter chegado. Eu achei que estaria seguro na Cidade do Rock, mas vi que este monte de seguranças não adiantou de nada", desabafou.

Também do Paraná, o professor Augusto Celso Antunes, 47 anos, ficou sem todos os documentos e R$ 250. Ele veio de Ponta Grossa acompanhando o filho, Pedro Henrique, fã do Red Hot:

"Não vale a pena vir a este festival. Estou arrependido de ter vindo. Quero dizer a quem não conseguiu comprar ingresso, que fez um excelente negócio. Tive um grande prejuízo me deslocando até o Rio", disse. Sem documentos, Antunes terá de usar o boletim de ocorrência para conseguir embarcar de volta para casa.

Cerca de 15 pessoas reclamavam de terem comprado ingressos falsos. Elas foram vítimas de cambistas que agiam nas proximidades do Terminal Alvorada e da Avenida Salvador Allende. Nos bilhetes falsificados, há a inscrição "ingresso especial", no lugar onde , normalmente, vem incrito "meia-entrada" ou "inteira".

A Polícia Civil se recusou a dar detalhes a respeito de quantas ocorrências já haviam sido registradas até as 21h.

Tags: . violência, Roubos, assaltos, cambistas, ingressos, ocorrência, problemas, rock in rio

Compartilhe: