Com início das aulas, desabrigados vão para galpões

Para garantir o início das aulas, a prefeitura de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, providenciou a transferência de parte dos desalojados que ainda estão em escolas para galpões. Segundo o prefeito da cidade, Demerval Barbosa Moreira, a acomodação nesses locais deve se estender até que fiquem prontas as 2,1 mil casas que serão construídas pelos governos estadual e federal na Fazenda da Laje, no distrito de Conselheiro Paulino.

"Já terminamos a primeira fase, que consistia na limpeza da cidade e, agora, estamos partindo para a segunda etapa, que é a da retirada das pessoas que ainda estão em abrigos, principalmente escolas, porque precisamos dar início ao ano letivo", disse o prefeito.

Segundo ele, das cerca de 5 mil pessoas que ficaram desalojadas, ainda restam 2 mil nos abrigos. Desde o dia 21 de janeiro, o governo do Estado paga aluguel social para essas famílias, que estão em busca de imóveis para alugar, mas nem sempre conseguem.

Ainda de acordo com Moreira, a solução de transferir as pessoas para galpões foi sugerida a ele pelo prefeito da cidade de Blumenau (SC), João Paulo Kleinübing, que esteve na quinta-feira em Nova Friburgo, numa visita de solidariedade. A cidade de Blumenau já viveu uma tragédia semelhante à da região serrana fluminense.

A prefeitura de Nova Friburgo recebeu quatro das 41 ambulâncias entregues a 34 municípios fluminenses pelo vice-governador e secretário estadual de Obras, Luiz Fernando Pezão. Mais três municípios da região serrana afetados pela catástrofe ¿ Teresópolis, Petrópolis e São José do Vale do Rio Preto ¿ também foram contemplados com as ambulâncias, adquiridas pelo governo do Estado a um custo de R$ 4 milhões.

Chuvas na região serrana

As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio nos dias 11 e 12 de janeiro provocaram enchentes e inúmeros deslizamentos de terra. As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.