Rede Globo fora de foco

        Sou daqueles que reverenciam o pioneirismo, a ousadia e a busca constante de qualidade na programaçãoda TV Globo. Creio ser um orgulho para nós, brasileiros, poder acompanhar o sucesso desta empresa de comunicação, também das mais premiadas do mundo. Mas, assim como ocorre com as maiores empresas, que em algum momento de suas atividades cometem equívocos que até lhes custam caro, a TV Globo, no curso desta nova modalidade de negociação, sem a participação do Clube dos Treze, para transmissão do Brasileirão a partir deste ano, extrapola o limite do bom-senso na programação dos jogos a serem televisados. Alias, este mesmo Clube, desde sua fundação, em 1986, sempre foi um bom parceiro da emissora.

        Neste contexto, pelo que até aqui foi noticiado, a TV Globo penaliza uma das equipes mais importantes do país, o São Paulo Futebol Clube, que tem correspondido aos anseios dessa TV, porque, principalmente nestes últimos dez anos, foi o clube que mais títulos conquistou, favorecendo a contratante com grande audiência no Ibope. Ou seja, só porque a direção do tricolor do Morumbi continua fiel aos princípios do Clube dos Treze, e talvez conteste a forma da atual negociação, diferente dos outros 16 clubes dissidentes, a rede dos Marinho, que provavelmente deverá pagar para o São Paulo, pelos direitos de transmissão um valor pouco menor ao já acordado para o Flamengo e o Corinthians, por terem as maiores torcidas, reduzirá drasticamente a exposição do clube citado na TV, transmitindo apenas cinco jogos no primeiro turno, contra 14, do Timão.

        É muito estranha esta decisão, porque, assim como Palmeiras, o São Paulo, clube do estado mais populoso e rico do país, concentra, entre grande parte de seus torcedores, cidadãos de classe média alta, diferentemente das agremiações que disputam o torneio. Portanto, esta menor visibilidade do tricolor do Morumbi não deixa de ser um prejuízo também para os anunciantes, que vão perder audiência de boa parte destes formadores de opinião.

        Ora, a decisão da TV Globo configura-se um ato de mesquinharia pura contra o clube presidido pelo Juvenal Juvêncio, contra também os milhões de espectadores sampaulinos e os amantes do bom futebol, que também prestigiam a emissora no restante de sua programação.

        Será que a Globo também está mancomunada com a CBF e o Corinthians, que odeiam o clube do Morumbi, e que, com ajuda do ex-presidente Lula, fizeram de tudo para alijar o clube paulista, privando-o de receber em seu estádio a abertura da Copa de 2014, mesmo sabendo que em seu entorno tem a melhor a infraestrutura do Brasil? Hotéis,  restaurantes, boates e até linha de metrô, que até 2013 chegará às proximidades do estádio? É o que parece.

        A empresa do Projac dá demonstração de que esqueceu tudo sobre marketing, mercado e a dinâmica que cerca o futebol. Até os menos aficionados do esporte bretão sabem que hoje um clube pode ter Ronaldos e estar bem no início da competição e, depois, ficar na zona de rebaixamento. E o telespectador não é otário, quer sempre um bom espetáculo.

        Já imaginaram o tricolor do Morumbi com o Lucas e outros jovens craques da equipe bombando de técnica e vitórias?  E o Rogério Ceni com a já consagração dos 100 gols? E, ainda, o Luiz Fabiano, fazendo o que mais sabe, que é o de colocar como ninguém a bola nas redes, e a TV Globo tiver que passar, só por pirraça e incompetência, um Flamengo e Corinthians com péssimo rendimento na tabela sob uma audiência pífia?!

        Para quem conhece as emoções e surpresas que o futebol proporciona, estas possibilidades são até previsíveis. E deixo bem claro que não sou sampaulino.  Mas, tenho boa memória.

* Jornalista