Covid-19: governo de São Paulo acusa Saúde de enviar 50% a menos de doses da Pfizer ao estado

Durante coletiva de imprensa para falar sobre a situação da pandemia em São Paulo, o governador João Doria disse que o Ministério da Saúde não encaminhou a quantidade de doses acordadas para chegar ao estado nesta semana

Foto: Folhapress / Roberto Casimiro
Credit...Foto: Folhapress / Roberto Casimiro

Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo acusou o Ministério da Saúde, nessa quarta (4), de enviar um número de doses 50% menor da vacina da Pfizer para o estado. No total, 456 mil doses eram esperadas, mas só foram entregues 228 mil.

A informação também foi confirmada pelo governador do estado, João Doria (PSDB), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

No ofício enviado ao ministério, a secretaria afirma que São Paulo "desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19 sempre recebeu mais de 20% do quantitativo de vacinas destinado ao país, independente do público-alvo ou do imunobiológico". A quantidade seria proporcional à população do estado, que representa cerca de 22% do total do país.

No documento, a secretaria também solicitou o envio complementar de 228.150 doses da vacina em até 24 horas. "Diante do exposto, esta Secretaria de Estado da Saúde requer o envio complementar de pelo menos 228.150 doses da vacina Pfizer em até 24 horas, considerando a relevância e urgência que a matéria se reveste."

Caso o envio não seja liberado, o estado não conseguirá cumprir o calendário já anunciado pelo governo, que prevê o início da vacinação de adolescentes no dia 18. Essa faixa etária só pode tomar o imunizante da Pfizer, o único testado até agora na faixa abaixo dos 18 anos. (com agência Sputnik Brasil)