No Maracanã, operários em greve fazem protesto por melhores condições de trabalho

Operários que trabalham nas obras do Maracanã para a Copa de 2014 realizaram uma passeata na manhã desta terça-feira cobrando melhores condições de trabalho. Com faixas e cartazes, eles deram a volta no estádio, na Tijuza, Zona Norte do Rio, gritando palavras de ordem.

A paralisação já dura 13 dias e atrasa as obras que precisam ser concluídas para a Copa das Confederações, em 2013. A manifestação deixou o trânsito lento na Radial Oeste e na Avenida Maracanã, sentido Centro. 

>> Consórcio Maracanã 2014 emite comunicado sobre a greve dos operários

O grupo se mostra insatisfeito com a falta de médicos e com a comida oferecida no turno da madrugada. As más condições de trabalho e a falta das horas extras no contra-cheque também são parte das reivindicações.

Episódio em agosto

No mês de agosto houve uma paralisação de cinco dias, depois que um barril de produtos químicos explodiu e feriu o operário Carlos Felipe da Silva, 23 anos.

Na época, os trabalhadores já reclamavam das más condições de trabalho. No dia 21 de agosto, ficou acordado com o Consórcio que os operários ganhariam plano de saúde, além de R$ 160 de vale alimentação.