Justiça determina prisão de três PMs pelo assassinato de Patrícia Acioli

Foi decretada neste domingo (11) as prisões temporárias de três PMs acusados de participar do assassinato da juíza Patrícia Acioli. O tenente Daniel dos Santos Benitez Lopes e os cabos Sergio Costa Junior e Jefferson de Araujo Miranda, do Grupo de Ações Táticas (GAT) do 7º BPM (São Gonçalo), tiveram as prisões temporárias decretadas pelo plantão judiciário de Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

Os suspeitos já estão presos na Unidade Prisional da PM (antigo BEP), em Benfica, na Zona Norte. Eles são acusados também da morte de Diego de Souza Beliene, de 18 anos, que ocorreu em junho, no Complexo do Salgueiro, São Gonçalo. O caso era acompanhado pela juíza, que antes de ser assassinada, havia decretado a prisão dos três policiais e de mais outros cinco envolvidos. 

>> PMs acusados de matar a juíza Patrícia visitaram cena do crime um mês antes

De acordo com a conclusão do inquérito da Divisão de Homicídios do Rio, cerca de um mês antes, os policiais militares teriam tomado conhecimento de que a juíza decretaria a prisão e por isso a mataram antes que a determinação fosse cumprida.