Beltrame: Se PMs tiverem envolvimento na morte de Juan, serão punidos

Em entrevista no início da tarde desta sexta-feira (1º), o secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, afirmou que caso policiais militares do 20º BPM (Mesquita) tenham envolvimento no desaparecimento do menino Juan, de 11 anos, eles serão punidos. Juan de Moraes desapareceu há 11 dias durante um confronto entre PMs e traficantes, na Favela do Danon, na Baixada Fluminense.

>> Pai de menino Juan não aceita inclusão em programa de proteção

“Precisamos dar uma resposta à sociedade e deixar aqui muito claro que se, por ventura, houver a participação de um servidor público, será exemplarmente punido, como nós viemos fazendo até agora”, prometeu Beltrame.

Questionado sobre uma possível demora para investigar o sumiço do garoto, Beltrame negou negligência. Ele disse que no início das investigações trabalhou-se com a possibilidade de um auto de resistência. Depois, esta possibilidade deu lugar "à questão do desaparecimento" e, assim, colheram-se depoimentos e fizeram perícia na viatura usada pelos policias na ação.

O secretário informou ainda que Wanderson de Assis, de 19 anos, que foi baleado durante a operação na comunidade Danon está sendo protegido pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).