Abdias Nascimento pode ganhar um memorial

Corpo do ex-senador será velado até as 11h

Pouco antes das 17h de ontem (26), cerca de 200 pessoas já aguardavam pela chegada do corpo do ex-senador Abdias Nascimento à Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Por volta das 18h15, muitas lideranças do Movimento Negro de todo o País, artistas e admiradores já prestavam homenagens a um dos homens que muitos classificam como herói.

Fieis da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa professaram palavras em um ato inter-religioso no saguão do Palácio Pedro Ernesto. Com a presença do ex-presidente Lula e do governador Sérgio Cabral, o interlocutor da Comissão, sacerdote candoblecista Ivanir dos Santos, então, propôs a criação de um memorial. “É importante que guardemos a memória deste homem tão representativo para o Brasil. Ele foi marcante para conquistas da democracia brasileira, para as artes, para o teatro e para a formação desta juventude”, declarou.  

Elisa Nascimento, mulher de Abdias, recebeu o governador e o ex-presidente da República muito emocionada. “Convivi com ele (Abdias) por muito tempo, desde os anos 80. Era um homem extraordinário e importantíssimo para as vitórias contra o racismo. Mesmo achando que ainda faltam muitas coisas, acho que os negros conquistaram avanços significativos com a Constituição de 88”, disse o ex-presidente.

O governador Sérgio Cabral comprometeu-se em conversar com a família de Abdias para estudar as possibilidades da criação do memorial.

Benedita da Silva, Edson Santos, Lea Garcia, Mãe Beata e outros nomes importantes estiveram na Câmara para prestar as últimas homenagens.

O corpo será velado até 11h desta sexta-feira (27) e seguirá para o crematório da Santa Casa, no Caju.    No dia 31, às 17h, serão realizados, no Valongo, uma homenagem e um ato inter-religioso, também comandado pela CCIR, por Abdias. As cinzas serão jogadas na Serra da Barriga, local do Quilombo dos Palmares, no mês de novembro deste ano.