Cidade de Deus recebe R$ 40 milhões por redução na quantidade de lixo

Valor será investido em obras de infraestrutura do projeto Bairro Maravilha

O prefeito Eduardo Paes anunciou na manhã desta sexta-feira, dia 15, na Cidade de Deus, a premiação para este bairro, que mais contribuiu na limpeza da cidade e reduziu o lixo nas ruas. Desde o lançamento do Lixômetro, em dezembro de 2009, a comunidade recém-pacificada diminuiu em 19,8% a quantidade de lixo espalhado por suas vias e, com isso, garantiu o direito ao prêmio de R$ 40 milhões de investimentos em obras no projeto Bairro Maravilha.

Acompanhado dos secretários municipais de Conservação e Serviços Públicos e de Obras, Carlos Roberto Osório e Alexandre Pinto e da Presidente da Comlurb, Angela Fonti, entre outras autoridades, Paes noticiou que      a comunidade vai receber um investimento de R$ 40 milhões em obras de infraestrutura que vão melhorar a vida dos moradores.  Ao todo, 180 ruas da Cidade de Deus serão beneficiadas com serviços de recuperação da pavimentação e calçadas, nova iluminação, galerias de águas pluvias e nova rede de esgoto.

A Prefeitura do Rio iniciou a campanha de mobilização por uma cidade mais limpa, com a instalação do Lixômetro em Copacabana, no final de 2009. Após 15 meses de monitoramento, entre todos os bairros cariocas, a Cidade de Deus foi o bairro que mais reduziu a quantidade de lixo urbano, seguido por Santa Cruz (- 15,2%), Lagoa (- 12,9%), Paquetá (-7,1%) e Madureira (-4,1%).

O prefeito disse não ter se surpreendido com o anúncio do bairro contemplado, pois a comunidade passa por um período de transformação e melhorias:

 - A Cidade de Deus passou por uma transformação muito grande que mexeu com a cultura das pessoas e é muito bom você ver um lugar se transformar em um ambiente de paz e com a população colaborando para ter a sujeira na cidade reduzida. A Prefeitura gasta por ano quase R$ 500 milhões para limpar a sujeira que as pessoas fazem nas ruas, que não é o lixo domiciliar, mas aquele palitinho de sorvete que o cidadão joga no chão ao invés de colocar na lixeira, por exemplo. Hoje, estamos premiando aqui a comunidade porque eles merecem o esforço. Temos que conscientizar a cidade inteira porque a rua é de todos nós e precisamos cuidar dela - afirmou Paes, agradecendo a colaboração de toda a comunidade e também dos garis comunitários.

O Rio de Janeiro é hoje uma das capitais com maior geração de lixo público do país. São mais de 1,2 milhão de toneladas de lixo recolhidos anualmente nas ruas e praias. Para tornar o Rio uma cidade mais limpa, a campanha do Lixômetro vai mobilizar os cariocas no desafio de reduzir em 8% ao ano o lixo público, ou seja, 96 mil toneladas a menos de resíduos nas ruas.

O evento na Cidade de Deus contou com a participação dos moradores, além da animação do gari passista Renato Sorriso e do Grupo Chegando de Surpresa. 

 

 Monitoramento do Lixômetro

Para chegar ao resultado divulgado, a Comlurb realiza um processo que começa na varrição das ruas, calçadas e praias pelos garis, que depositam o lixo nos caminhões para a remoção em roteiros previamente estabelecidos ou em lugares de descarte irregular frequente. Uma vez concluído o serviço, estes veículos seguem para uma das unidades de transferência ou destino final, onde têm seu peso líquido registrado. As gerências operacionais são distribuídas e, desta forma, é possível determinar a quantidade de lixo público separada por região administrativa.

Os números do Lixômetro podem ser acompanhados através do site https://comlurb.rio.rj.gov.br/lixometro, em que o cidadão tem acesso ao total de lixo público. Os resultados também são divulgados nos painéis fixos de trânsito da CET-Rio, que mostram frases parabenizando os locais onde houve redução na quantidade de lixo público coletado e mensagens chamando a atenção dos moradores das áreas onde ainda há muitos resíduos espalhados pelas ruas.