Surge no Rio uma nova fobia coletiva: o medo de bueiros

Risco de novos acidentes faz tampas virarem obstáculos

Se você  passar por Copacabana e ver pessoas andando em ziguezague, não vá achar que sofrem do mal de  Melvin Udall, personagem do filme Melhor é Impossível que valeu a  Jack Nicholson um Oscar de melhor ator, e que, devido a um transtorno obsessivo compulsivo, não  pisava nas linhas da calçada. No caso do Rio, trata-se de puro medo de estar sobre um dos  130 bueiros-bomba-relógio, que, sem manutenção,  podem explodir a qualquer momento, como aconteceu na noite da última sexta-feira, quando uma dessas tampas foi pelos ares, deixando cinco feridos.

– Vamos blindar a janela para proteger nossos filhos – diz Fernando Alves, cujo apartamento fica em , em frente ao bueiro que explodiu no dia 1º.

Em 2011, 12 bueiros apresentaram problemas na cidade.

>> Leia a reportagem completa no JB Premium