Corpo encontrado em hotel de Caxias é da menina Lavínia, diz polícia

A Polícia Civil do Rio confirmou no início da tarde desta quarta-feira que o corpo de uma menina, entre 6 e 7 anos de idade, encontrado debaixo da cama de apartamento do Hotel Municipal, em Duque de Caxias é mesmo o da menina Lavínia, desaparecida desde segunda-feira.

O hotel, que fica na Avenida Presidente Kennedy, próximo a antiga rodoviária de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, atraiu  grande número de curiosos nesta manhã.

Para tentar reconhecer o corpo, por volta de 11h, dois tios de Lavínia foram levados até o quarto do hotel onde estava o cadáver. Um deles entrou, mas teve dificuldades para reconhecer a menina.

Imediatamente depois de sair do hotel, parentes da garota seguiram junto com policiais civis para a casa de uma mulher identificada apenas como Luciene. Ela seria uma ex-amante do pai da criança.

Até o início da tarde desta quarta-feira cerca de 11 ligações foram recebidas pelo Disque Denúncia (2253-1177) e checadas pela polícia. Homens da PM fazem buscas para tentar descobrir o paradeiro do suspeito, que pode ter fugido para Jardim Gramacho.

Mulher teria raptado a criança

A menina Lavínia Azeredo de Oliveira, de 6 anos, foi arrastada de casa por uma mulher, na madrugada de segunda-feira, no Bairro Parque Fluminense, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Pelo menos, foi o que disse uma testemunha durante depoimento na 60ª DP (Campos Elysios), na noite desta terça-feira.

O delegado Robson da Costa informou que a testemuha garantiu ter visto a mulher puxando uma criança pelo braço com as características de Lavínia.

A mãe da criança, a professora Andréa de Azeredo, de 25 anos, disse que a filha acordou por volta das 3h de segunda-feira, quando o pai, Rony dos Santos de Oliveira, chegou em casa. Em seguida, dormiu novamente. Às 6h, quando Andréa levantou, não viu a filha no quarto.

Ela contou à polícia que viu a porta destrancada e a janela do quarto da filha aberta. Lavínia não estava na cama. "Achei que ela estivesse com o avô. Quando subi, vi que não estava. Fiquei desesperada e saí gritando. Procurei por todos os lugares até perceber que ela tinha desaparecido", a mãe.