Cerco do Detro na Região Metropolitana flagra 17 veículos irregulares

A fiscalização do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) montou um cerco, na manhã desta segunda-feira (14/2), em várias localidades da Região Metropolitana que dão acesso à capital, assim como na Zona Sul do Rio, para coibir o transporte irregular de passageiros. Como resultado, dezessete veículos foram apreendidos e levados para depósitos públicos, sendo a maioria vans. Entre os flagrados estão, ainda, três carros de passeio que faziam lotada.

No total, vinte e dois fiscais do Detro atuaram em operações em Jacarepaguá, Bangu, no entorno da Rodoviária Novo Rio, Leblon, Botafogo e Campo Grande, na capital. Além desses pontos no Rio, as equipes estiveram também em Niterói, na Ponte Rio Niterói e em Duque de Caxias.

– A população precisa estar consciente dos perigos que envolvem a utilização do transporte pirata. Estes carros não passam por vistoria e trafegam sem as mínimas condições de segurança, isso sem falar dos motoristas que, por muitas vezes, não têm sequer habilitação. Não podemos compactuar com aqueles que insistem na “bandalha”, colocando diariamente em risco a vida de milhares de pessoas – alerta Rogério Onofre, presidente do Detro.

O local com maior número de apreensões foi o bairro do Leblon, na Zona Sul do Rio, onde seis vans foram flagradas em situação irregular. A maioria operava no trajeto entre bairros da Zona Oeste e/ou da Baixada Fluminense e Zona Sul ou Barra da Tijuca. Outro bairro que apresentou expressivo número de apreensões foi Bangu, na Zona Oeste, onde quatro kombis piratas foram apreendidas.

Em Jacarepaguá, Botafogo, Ponte Rio-Niterói e Campo Grande foram apreendidas quatro vans, sendo uma em cada localidade. Já no entorno da Rodoviária Novo Rio, em Niterói e em Duque de Caxias, foram flagrados três carros de passeio fazendo lotada, uma Doblô, um Corsa e uma Fiat. Lotada é a modalidade de transporte irregular feito em carros particulares, cujas finalidade e especificidade não atendem as exigências para este tipo de serviço, com a cobrança de tarifa. Nestes casos, a abordagem da fiscalização é feita de forma diferenciada, conferindo dados dos passageiros que confirmem a irregularidade.