Religioso cubano é morto a tiros no Cosme Velho

RIO - O presidente da Sociedade de Ifá e Cultura Afro-Cubana no Brasil, o jornalista Rafael Zamora Diaz, de 51 anos, foi assassinado a tiros na Rua Cosme Velho, na noite desta terça-feira. Ele estava dentro do carro, a cerca de 10 metros de sua casa, na Ladeira dos Guararapes, quando foi baleado. Rafael morreu no local.

Familiares do jornalista cubano disseram que o crime pode ter sido passional. Segundo eles, Rafael Zamora vinha recebendo ameaças há mais de um ano, depois que o religioso se envolveu com uma mulher casada. Um dossiê com os relatos das ameaças foi entregue à Assembleia Legislativa do Rio, à Ordem dos Advogados do Brasil e ao Ministério Público.

Rafael Zamora Diaz era babalawó (senhor, pai do segredo) do Ifá, religião de origem africana, muito difundida em Cuba, que trabalha com as energias da natureza.

Ele morava no Brasil há 20 anos. O filho Rafael, o Rafaelito, de 20 anos, prestou depoimento na Divisão de Homicídios, mas não quis falar com os jornalistas.