Delegado vai investigar se tiros na prefeitura e em helicóptero da TV Globo foram intencionais

Depois de uma megaoperação com 150 homens no Complexo de São Carlos, no Estácio (Centro do Rio), que atingiu um helicóptero da TV Globo e a sede da prefeitura da cidade com diversos disparos, o delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), Pedro Medina, disse na tarde desta segunda-feira que pretende investigar se os disparos foram intencionais.

"Ainda não dá para dizer qual foi a intenção dos bandidos. Eles podem ter atirado no helicóptero para chamar a atenção da polícia, mas não se sabe ao certo", explica Medina.

O popular Globocop foi atingido enquanto se preparava para realizar imagens de uma operação policial no Morro de São Carlos. 

Dos três projéteis disparados, um atingiu o assoalho da aeronave, o segundo pegou a região central e o terceiro acertou a cauda do modelo  AS350 B2.

Segundo Pedro Medina, a perícia feita no prédio da prefeitura será capaz de atestar apenas qual foi o dano sofrido, mas nunca a intenção dos traficantes.

"É difícil saber o que eles pretendiam atirando na prefeitura. Se é que miraram lá mesmo", completa.

Além do piloto, estavam a bordo do helicóptero o operador de sistemas Roberto Mello Reis e a repórter Karina Borges. O Globocop teve que fazer um pouso forçado, mas ninguém se feriu.

Veja as imagens da TV Record: