Dilma: moradia em área de risco no Brasil é regra, não é exceção

Após visitar as áreas atingidas pelas enchentes em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, a presidente Dilma Rousseff declarou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, que a construção de moradias em áreas de risco é a regra, não a exceção no Brasil.

"Quando não se tem políticas de habitação, a pessoa que ganha até dois salários mínimos vai morar onde? Vai morar onde não pode", disse Dilma.

A presidente destacou que a reconstrução das cidades atingidas pelas chuvas deve servir também para que ações preventivas sejam implementadas.

"Nós temos que garantir que a reconstrução seja um momento também de prevenção", disse durante entrevista coletiva no Rio.

De acordo com Dilma, houve um "profundo desleixo com a população de baixa renda", que se viu obrigada a morar em zonas de risco, propensas a desabamentos.

A presidente ficou impactada com as imagens que viu após sobrevoar Nova Friburgo. "É um momento muito dramático, de cenas muito fortes", disse.

A presidente destacou a importância da cooperação entre o governo estadual e o federal para resgatar as vítimas e reestruturar as regiões atingidas.

"Estamos colocando toda a estrutura do governo federal à disposição do governador Sérgio Cabral. Todas as máquinas e equipamentos, Forças Armadas, Marinha. Arcamos com os custos sem problema nenhum", disse.