Luz já voltou para a maior parte dos moradores de Teresópolis

Rio de Janeiro - A concessionária de energia Ampla, que atende à população da região serrana do Rio, informou que já restabeleceu o fornecimento de eletricidade para 52 mil dos 75 mil clientes de Teresópolis, a cidade mais atingida pelo temporal da madrugada de hoje (12). De acordo com a concessionária, a situação está sendo normalizada à medida que as equipes de emergência conseguem ter acesso às áreas afetadas.

Mais cedo, a Ampla concluiu o serviço na linha de transmissão que abastece a região central de Teresópolis, normalizando o fornecimento de energia nos bairros Alto, Comary, São Pedro, Várzea e Barra do Imbuí. A pedido da Defesa Civil, algumas áreas tiveram o abastecimento de energia suspenso por medida de segurança. A luz só é religada após inspeção dos agentes da Defesa Civil, para assegurar que não há risco de acidentes.

Em Petrópolis, na região de Areal, uma subestação da Ampla foi inundada, obrigando a concessionária a cortar o fornecimento de energia. A distribuidora de energia deslocou várias equipes de outros municípios da sua área de concessão para a região serrana.

"Nunca vi nada igual", diz Pezão

O governador Sérgio Cabral solicitou hoje (12) mais cedo que o comandante da Marinha, almirante Júlio Moura, disponibilizasse aeronaves para o deslocamento de homens e equipamentos do Corpo de Bombeiros para os municípios da região serrana do estado do Rio, fortemente atingidos pelo temporal que começou ontem (11) à noite e só terminou no fim da madrugada de hoje (12). Helicópteros das polícias Civil e Militar partiram ainda cedo para a região fazendo o transporte de equipes e suprimentos.

Após sobrevoar os municípios atingidos, o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, classificou a situação como bastante grave, principalmente em Teresópolis e Nova Friburgo. Ele disse que, em alguns locais, o acesso por terra é impossível.

“Nunca vi nada igual, nem mesmo nos deslizamentos em Angra dos Reis no ano passado. Esse é o momento de ver o que pode ser feito para resolver a situação dessas pessoas, buscando, principalmente, desobstruir as estradas e garantir o acesso de serviços e apoio para devolver a normalidade à população”, afirmou Pezão.

Para acelerar o desbloqueio das estradas de acesso às cidades serranas, o subsecretário executivo estadual de Obras, Hudson Braga, solicitou ao presidente do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Luiz Antonio Pagot, a liberação de equipamentos. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e empresas que fazem obras de contenção de encostas e terraplanagem na região também estão ajudando a remover as barreiras e recuperar o asfalto que cedeu em alguns pontos.

Ainda segundo Braga, as rodovias deverão ser liberadas em meia pista para permitir a chegada de mais equipamentos às cidades atingidas. Ele destacou que a prioridade é, além da desobstrução das estradas, o atendimento às vítimas dos deslizamentos.

A prefeitura de Nova Friburgo decretou estado de emergência. A precipitação de chuva chegou a 260 milímetros (mm) em 24 horas, superior ao esperado para todo o mês de janeiro (180 mm). O fornecimento de energia elétrica foi interrompido na cidade e, segundo o tenente-coronel Alexandre Rocha, que coordena os trabalhos na Central Operacional da Defesa Civil do estado, há muita dificuldade de comunicação telefônica, tanto fixa quanto móvel.

Nos distritos turísticos de Lumiar e São Pedro da Serra, em Nova Friburgo, a população está sem água, luz e telefone desde a madrugada. O acesso à Nova Friburgo foi interrompido por causa da queda de barreiras na RJ 142.