Núcleos de atendimento LGBT serão inaugurados este ano

RIO - Em julho do ano passado, o Governo do Estado inaugurava, na Central do Brasil, o Centro Contra a Homofobia, o primeiro da América Latina, para garantir o atendimento integrado nas áreas de direito, assistência social e psicologia ao público LGBT. Chamado de Centro Metropolitano de Referência e Promoção da Cidadania, a unidade, que faz parte de uma rede integrada que inclui ainda um serviço telefônico, já apresentava resultados positivos, tendo registrado, de 1º de julho a dezembro de 2010, mais de 2 mil atendimentos.

A equipe, comandada pelo superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, Cláudio Nascimento, também instalava um polo de atendimento em Nova Friburgo, no mesmo período. A rede integrada Rio Contra a Homofobia planeja agora novas inaugurações: em março instalará um núcleo de atendimento descentralizado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e três outros em Madureira, Copacabana e Campo Grande, ainda no primeiro semestre de 2011.

- Na primeira semana de março, vamos inaugurar o Centro de Referência Baixada I, em Caxias. A ideia é permitir que a comunidade da Baixada Fluminense possa ter acesso a um serviço mais próximo, com a intenção de tornar o atendimento o mais acessível possível. Para a cidade do Rio, teremos quatro núcleos de atendimento descentralizados. Um é o que já funciona na Central do Brasil, no Centro de Referência. E teremos ainda os núcleos de Madureira, Campo Grande e de Copacabana, para atender as localidades e adjacências – destaca o superintendente.

Outros núcleos já estão sendo planejados. São eles: Nova Iguaçu, São Gonçalo, Cabo Frio, Volta Redonda, Itaperuna, Macaé, Niterói e Petrópolis. Segundo Nascimento, foi o Conselho Estadual LGBT que definiu os municípios agraciados com as unidades de atendimento. Entre os critérios para a escolha das cidades estiveram a atuação de movimentos sociais LGBT e a representatividade da cidade enquanto referência em determinada região. Os núcleos de Nova Iguaçu, São Gonçalo, Cabo Frio e Macaé serão inaugurados até o fim de 2011. As demais unidades estão previstas para 2012.

- A partir de 2013, desejamos ter uma rede de atendimento em todo o estado, inclusive para estarmos preparados para a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Precisamos preparar o Rio de Janeiro para receber os turistas e seguir os padrões internacionais de Cidadania e Direitos Humanos. O governo está investindo, anualmente, R$5 milhões. Isto inclui produção de material, espaços, seminários, congressos e preparação de funcionários. Não é só implantar o serviço. Há uma série de estratégicas para poder sedimentar e dar visibilidade ao serviço em cada região – ressalta.

Rede Integrada

De acordo com o superintendente, a Rede Integrada Rio Contra a Homofobia é constituída por dois tipos de atendimento, o telefônico e o presencial. O serviço Disque-Cidadania LGBT (0800-023-45-67), coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos passou, nesta segunda-feira, a atender até as 22h.

- Nossa rede é constituída de ações e serviços importantes. Temos o Disque Cidadania, os centros de referência e promoção da cidadania. Vamos instalá-los em oito regiões do estado. E temos o núcleo de monitoramento das ações e políticas LGBT. Já o Centro Metropolitano fica aqui na Central do Brasil, onde também fica localizado um núcleo descentralizado. Nosso foco é atender vítimas de violência e discriminação ou outros profissionais e familiares que venham buscar informações sobre direitos – explica.