Xuxa receberá R$ 150 mil de indenização da gráfica da Igreja Universal

A Editora Gráfica Universal terá que pagar R$ 150 mil de indenização por dano moral à Xuxa Meneghel. O motivo foi ter publicado na Folha Universal que a apresentadora é "satanista" e que teria vendido sua alma para o demônio por US$ 100 milhões.

Na petição inicial do processo, Xuxa declarou que tem uma imagem pública a zelar, principalmente no meio infantil, e que a conduta da ré lhe causou danos morais, sobretudo por ser pessoa de muita fé. Já a editora se defendeu alegando seu direito de informar e que não o fez com abuso, já que os fatos mencionados em sua reportagem já foram objeto de outras matérias em outros veículos.

Para a juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, não há na reportagem um traço sequer de informação, mas sim de especulação, sem que tenha sido dada à autora a oportunidade de ser ouvida sobre o seu teor.

"Toda liberdade deve ser exercida com responsabilidade, o que a ré parece não saber, embora, ironicamente, seja gráfica de uma igreja. Quem publica o que quer, com manchete sensacionalista e texto estapafúrdio sobre 'famosos que teriam se deixado seduzir pelo mal' e monta fotos, legendando-as com palavras que evocam um suposto culto da autora pelo diabo, deve ser responsabilizado pelo dano moral causado, agravando-se tal situação por ser a autora pessoa que tem seu público, sobretudo, no meio infantil e infanto-juvenil, que é mais facilmente ludibriável", completou a magistrada.

A ré também foi condenada a publicar, na primeira página da próxima edição após o trânsito em julgado da ação, no mesmo periódico, o seguinte: "em desmentido da publicação do exemplar 855 de 24 de agosto de 2008, Maria da Graça Xuxa Meneghel afirma que tem profunda fé em Deus e respeita todas as religiões".

 

Origem da polêmica

Em agosto de 2008, a Folha Universal publicou matéria de capa com a chamada 'Pacto com o mal?' e entrevistou o pastor brasileiro que atualmente mora nos Estados Unidos, Josué Yrion que confirmou a venda da alma da apresentadora por US$ 100 milhões para conseguir sucesso e fama. Na matéria, havia a imagem de um homem de costas que representaria o Diabo e o título 'Contrato com o Diabo'. 

A reportagem também se baseia em vídeos do pastor no Youtube nos quais ele explica a origem do nome da apresentadora que seria a união de Exu e Orixá, duas entidades do candomblé. O religioso, que de acordo com a publicação "parece conhecer o que fala", também afirma que uma boneca da apresentadora teria matado uma criança no Brasil. Segundo Yrion, a apresentadora doa sangue duas vezes ao ano para a Igreja do Satanás da cidade de São Francisco, nos Estados Unidos.

O escritor Paulo Coelho também foi citado na reportagem por vender a alma ao Diabo por fama e dinheiro.