Batalhão investiga se criminosos queriam roubar armamentos de quartel

 

O coronel Antonio Manoel de Barros, comandante do 26º Batalhão de Paraquedista, confirmou na tarde deste domingo que o Exército investiga se os dois bandidos que tentaram invadir o quartel durante a madrugada tinham a intenção de roubar armamentos. Os criminosos, armados, foram até a Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio, e renderam o soldado David Soares de Almeida, de 19 anos, que estava na guarita. David reagiu e acabou levando quatro tiros na perna direita. 

De acordo com o comandante, o Exército está preparado para enfrentar as tentativas de roubo de armamentos. O coronel destacou a reação do soldado e enfatizou que as equipes estão trabalhando para a segurança da população:

"Ele foi alvejado quatro vezes e, mesmo assim, manteve a posição até a chegada do socorro. Estou muito orgulhoso desse soldado. Estamos trabalhando para a segurança da população", afirmou o comandante, que no sábado participava das operações de cerco no complexo do Alemão.

 

O caso

Dois homens armados tentaram invadir um quartel do Exército na Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio, e balearam o soldado David Soares de Almeida.

Depois de atirarem no militar, os criminosos fugiram em direção à Avenida Benedito da Silveira. A Polícia do Exército fez buscas pela região, mas nenhum suspeito foi encontrado. 

David está internado no Hospital Central do Exército, em Benfica, e não corre risco de morte. 

Mais cedo, o Comando Militar do Leste divulgou uma nota informando que a tentativa de invasão pode ter sido motivada por roubo de armamento

Leia a nota divulgada pelo Comando Militar do Leste

"Às 04:30h de hoje, 12 dez, dois bandidos tentaram invadir o 26º BI Pqdt pelo POSTO MANDRULHO daquela OM, possivelmente na tentativa de roubar armamento, o sentinela da hora Sd DAVID SOARES DE ALMEIDA, de 19 anos, viu e atirou sobre os invasores. Houve troca de tiros, o sentinela foi atingido sem gravidade e passa bem. Os bandidos fugiram em direção à Av. Benedito da Silveira. O CML acompanha o caso".

Os cerca de 800 soldados que participaram do cerco ao complexo do Alemão no dia da ocupação pelas forças de segurança, em 29 de novembro, estão, em sua maioria, lotados no 26º Batalhão de Paraquedista.