Complexo da Penha deve receber até fevereiro obras do programa Morar Carioca

 

Rio de Janeiro - As obras do programa Morar Carioca que serão executadas no Parque Proletário da Penha, no Complexo da Penha, zona norte do Rio, foram apresentadas hoje (11) pelo prefeito Eduardo Paes. Ainda em fase de licitação, as ações preveem um investimento de R$ 144,2 milhões em recursos da prefeitura e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Segundo Eduardo Paes, a iniciativa faz parte de um amplo conjunto de obras na região, que inclui ainda as comunidades vizinhas da Vila Cruzeiro e da Vila Cascatinha. Estão previstas obras de urbanização e de infraestrutura, como redes de esgoto, água e drenagem, a construção de uma Clínica da Família, creche, cinema, além de 222 unidades habitacionais.

“As melhorias não vêm do dia para a noite, mas com todas essas ações estamos trabalhando para garantir soluções urbanas para todo o Complexo da Penha. Neste momento estamos fazendo a licitação e até o fim de janeiro ou início de fevereiro as obras devem estar sendo iniciadas”, disse Paes.

A previsão é que as obras estejam concluídas em 36 meses. O projeto prevê ainda a pavimentação de 14 quilômetros de ruas e de 29 quilômetros de calçadas para pedestres, além da instalação de 808 pontos de iluminação pública.

De acordo com o presidente da associação comunitária da região, Celso de Sousa Campos, o Binha, a iniciativa é fundamental para melhorar a autoestima da população, que tem novas expectativas desde a ocupação da polícia, que expulsou os chefes do tráfico de drogas da área.

“A gente sempre foi muito esquecido pelo poder público. Agora, esperamos que as coisas melhores. Muitas ruas não têm asfalto e a estrutura é muito ruim. Falta tudo”, disse.