Centro de Estudos e Pesquisas dos BRICs é inaugurado no Rio

Brasil, Rússia, Índia e China integram o BRIC

RIO - O prefeito Eduardo Paes e o reitor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), padre Josafá Carlos de Siqueira, inauguraram, na Casa Affonso Arinos, em Botafogo, o primeiro Centro de Estudos e Pesquisas dos Países Membros do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), o BRIC Policy Center. O BCP é fruto de parceria entre a Prefeitura e a PUC-RJ, com o objetivo de aumentar a agenda comum entre os pesquisadores desses quatro países.

A cerimônia também reuniu os embaixadores Affonso Arinos de Mello Franco Filho e Stelio Amarantes (coordenador das Relações Internacionais da Prefeitura do Rio), o subsecretário de Relações Internacionais do Município, Wanderley Mariz, e João Pontes Nogueira, diretor do Instituto de Relações Internacionais da PUC, além do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Samuel Pinheiro Guimarães. Após o descerramento da placa de inauguração, o prefeito do Rio destacou o momento de internacionalização que o Brasil atravessa.

- O Rio cumpre seu papel de face internacional do Brasil, atraindo pessoas para a discussão de temas de interesse mundial. E a criação desse Centro facilita esse debate. Eu diria que é um golaço da cidade, que já reúne os principais centros de pesquisa do Brasil, como a Coppe e a Fundação Oswaldo Cruz - afirmou o prefeito, que elogiou a qualidade do trabalho realizado pela PUC.

- A parceria com a PUC só vem reforçar a importância dessa instituição de ensino, sua capacidade de reflexão e elevada qualidade de corpo docente. Não tenho dúvidas de que é a instituição mais qualificada para nos comandar nesse processo - disse Eduardo Paes.

O Centro de Estudos promoverá intercâmbios entre acadêmicos, eventos nacionais e internacionais com a missão de discutir a inserção mundial dos países emergentes e a cooperação entre eles. Seu trabalho será dividido em cinco núcleos de pesquisas temáticas: o primeiro vai abordar a política internacional e a agenda multilateral; o segundo cuidará do desenvolvimento, do comércio, das finanças e dos investimentos; o terceiro será responsável pelos estudos na área do desenvolvimento urbano e de sustentabilidade; o quarto, assuntos referentes a cooperações técnica e científica; e o quinto, fará a análise da economia e da política dos países do BRIC.