São João da Barra quer recuperar produção de caju

Considerado por muitos anos um dos maiores produtores de caju do estado do Rio de Janeiro, até o surgimento da praga da mosca branca, que, a partir de 2005, dizimou mais de 90% dos cajueiros nativos do município, São João da Barra vem trabalhando de forma intensa para recuperar esse tipo de cultura. Na próxima terça-feira (16/11), acontece mais um capítulo desse processo, com a realização de uma aula de campo, às 9h, na estufa de mudas da localidade de Água Preta, no quinto distrito.

Organizado pela Secretaria Municipal de Agricultura, com apoio de entidades parceiras como o Sebrae e a Emater, a iniciativa engloba o Programa Municipal de Revitalização do Caju, cujo objetivo é retomar e expandir o plantio em todo o município. Na oportunidade, serão distribuídas mudas do caju anão precoce e os agricultores receberão orientações relativas ao plantio e cultivo.

- Nossa meta é fazer com que São João da Barra seja novamente o primeiro produtor do estado. Para isso, estamos disponibilizando 30 mil mudas do caju anão para os agricultores interessados. Dentro desse contexto, existe também o projeto para a instalação de uma fábrica de suco e de beneficiamento da castanha, que deverá funcionar no quinto distrito, onde se concentra a maior produção — explica Osvaldo Barreto - secretário e Agricultura de São João da Barra.

A espécie caju anão, geneticamente melhorada e com mudas vindas do Ceará para São João da Barra, apresenta algumas vantagens em relação ao tradicional, como explica o agrônomo da secretária de Agricultura do município, Gustavo Ribeiro Gomes.

- Sua castanha possui mais peso e existem vantagens no sabor e na textura, que chamamos de tempo de prateleira. O porte baixo facilita o manejo e a colheita e o tempo de safra dura de setembro a maio, maior que o do caju tradicional, que vai e novembro a março. Isso possibilita uma produção por pé até dez vezes maior.

O solo arenoso e o tempo de estiagem ideal para o período de floração são alguns dos fatores que fazem de São João da Barra, de acordo com o agrônomo, um município com um grande potencial para o cultivo do caju.

 

Ascom