Tiroteio no Complexo da Penha mata uma idosa por bala perdida

 

O tiroteio entre policiais, civis e militares do 16º BPM (Olaria), com traficantes dos Morros do Sereno e da Caixa D'água, no Complexo de Favelas da Penha, resultou na morte de uma idosa, de 67 anos, atingida por uma bala perdida. Ela chegou a ser levada para o Hospital estadual Getúlio Vargas. Segundo a Secretaria estadual de Saúde, ela levou dois tiros, no braço direito e no tórax, foi levada para o centro cirúrgico, mas não resistiu aos ferimentos.

Outros dois homens deram entrada na mesma unidade de saúde. De acordo com a secretaria, as duas vítimas, de 20 e de 37 anos, levaram um tiro cada, no braço esquerdo e no ombro direito, respectivamente, e são avaliadas pela equipe médica do hospital.

De acordo com o 16º BPM (Olaria), a Avenida Brás de Pina e a Rua Irapuã foram interditadas por cerca de uma hora por causa do tiroteio, que assustou moradores e motoristas. Segundo o batalhão, os tiros começaram durante um rastreamento de duas equipes da Delegacia de Roubos e Furtos de Carga (DRFC) da Polícia Civil a um caminhão carregado de cigarro, que havia sido roubado.

Nas imediações da Favela da Caixa D’Água, traficantes fizeram disparos contra as duas equipes da Polícia Civil. Policiais do 16º BPM foram chamados para dar apoio, e um blindado foi deslocado para o local.

De acordo com o batalhão, as ruas já foram liberadas para o tráfego. O caminhão com a carga roubada não foi recuperado.