Lula diz que polícia vai "bater em quem tem que bater" no Rio

O presidente da República Luis Inácio Lula da Silva afirmou na tarde desta quinta-feira em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, que não vai mandar agentes das Unidades de Polícia Pacificadora "apenas para bater". De acordo com o presidente, em favelas pacificadas como Manguinhos, Complexo do Alemão e Pavão-Pavãozinho, a polícia vai "bater em quem tem que bater".

"E é o que nós estamos fazendo nas favelas do Rio de Janeiro e, se Deus quiser, vamos fazer nas favelas de todos os estados brasileiros, porque a favela é o descaso e o desgoverno de muita gente que governou este país nos anos 60, nos anos 70 e nos anos 80, que não construíram casas, que não fizeram saneamento básico, que não geraram empregos", disse o presidente.

A declaração foi dada pelo presidente em uma inauguração da plataforma P-57 da Petrobrás. No mesmo discurso, o presidente disse, em tom de brincadeira, que não quer se desfazer da faixa de presidente. "Eu estou pensando em colar a 'bichinha' na barriga, colar com uma cola daquelas que não largam, e sair correndo", disse.