Campanha busca atrair turistas para Angra dos Reis

      RIO - O Ministério do Turismo inicia no dia 2 de outubro uma campanha de reconstrução da imagem de Angra dos Reis, por meio da publicação de dois cadernos especiais em jornais do Rio e de São Paulo. O município está localizado na Costa Verde fluminense e foi atingido por fortes chuvas em janeiro, na virada do ano, que provocaram deslizamentos de terra e mais de  50 mortes. A campanha foi anunciada em maio deste ano pelo ministro do Turismo, Luiz Barretto, e conta com recursos no valor de R$ 2 milhões.



A presidente interina da  Fundação de Turismo de Angra dos Reis (Turisangra), Amanda Salazar, disse que a campanha vai mostrar os atrativos da cidade, com foco na parte natural, que envolve 2 mil praias e 365 ilhas, entre elas a Ilha Grande. “Mas a gente quer  mostrar também as outras faces da cidade, o patrimônio histórico, os outros tipos de atrativos para o público”, acrescentou.

O objetivo é conseguir recuperar o número de turistas que a cidade recebia anteriormente, disse Amanda. Segundo dados do Ministério do Turismo, Angra recebeu no ano passado 1,3 milhão de visitantes, dos quais 220 mil eram estrangeiros. Em razão da tragédia que abalou o município, a taxa de ocupação nos hotéis e pousadas chegou a cair  de 74,92% em janeiro de 2009 para 37,56% em janeiro deste ano.

A assessoria de imprensa da Turisangra informou que a cidade já está retomando os níveis anteriores. No feriado prolongado de 7 de setembro, por exemplo, os hotéis registraram quase 100% de ocupação. Angra tem cerca de 12 mil leitos na rede hoteleira.

Os cadernos especiais sobre Angra terão informações sobre o calendário cultural da cidade, além da infraestrutura, gastronomia, hospedagem e passeios, incluindoos os municípios vizinhos de Paraty, Rio Claro e Mangaratiba. A campanha prevê, numa segunda etapa, a instalação de painéis publicitários nas principais rodovias, aeroportos e estações do metrô do Rio e de São Paulo. Com a mesma finalidade, a Turisangra participará de eventos turísticos no país. 

Amanda Salazar acredita que a campanha poderá estimular a criação de empregos na cidade. “Acredito que possa sim. Espero que, com essa campanha, a gente possa não só recuperar a temporada, como também tenha um acréscimo de turistas na baixa temporada”. O turismo gera na região 7 mil empregos diretos e cerca de 3,5 mil indiretos.

Com base em levantamento do Instituto de Desenvolvimento Integrado para Ações Sociais (Instituto Ideias), que fez o inventário turístico de Angra, os visitantes da cidade se dividem entre veranistas e turistas. Os primeiros gastam em média no município, na manutenção de suas casas, que somam 7.863 propriedades, aproximadamente R$ 12,47 milhões mensais.

Estimando uma ocupação de 50% das casas em um fim de semana de sexta-feira a domingo, os gastos médios por família de quatro veranistas chegam a mais de R$ 4,73 milhões. Em relação aos turistas, o Instituto Ideias identificou que o gasto médio diário é de R$ 249,87 por pessoa.