CPI do Carnaval começa a funcionar na próxima semana no Rio

Agência Brasil

RIO - A Câmara Municipal do Rio de Janeiro começa na próxima segunda-feira, 23 de abril, os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar se houve manipulação no resultado do desfile do grupo especial no Carnaval 2007. O pedido da chamada CPI do Carnaval foi publicado hoje (20) no Diário Oficial do município.

- Sempre acreditei na lisura do resultado, mas a partir do momento em que ele é colocado em dúvida, é evidente que nós vamos apurar até as últimas conseqüências, disse a presidente da comissão, vereadora Teresa Bergher (DEM).

Segundo ela, a primeira medida será ouvir o delegado da Polícia Federal (PF) Emanuel Henrique de Oliveira a respeito da declaração de que o presidente de honra da Beija-Flor, Aniz Abrão David, preso na Operação Furação, teria manipulado o julgamento do Carnaval carioca.

- É evidente que ele vai ser a primeira pessoa a ser convocada para que ele possa esclarecer para nós e para a população porque ele fez as

declarações e quais as provas que ele tem, afirmou Bergher.

Ainda de acordo com a vereadora, a Câmara Municipal vai solicitar à PF e ao Ministério da Justiça uma escuta telefônica que seria a prova da fraude. O resultado da investigação, que tem prazo de 120 dias para terminar, será encaminhado ao Ministério Público.

Em nota, a Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis comunicou que não pode aceitar que se tente denegrir a imagem da agremiação por meio de "atitudes impensadas". O texto diz, ainda, que a escola acredita na seriedade da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) e dos jurados do Carnaval.