Rio

Rio de Janeiro agora tem o Selo 'Ande de Táxi Legal'

.

Reprodução
Credit...Reprodução

Foi lançado nessa sexta (2) o selo de segurança "Ande de Táxi Legal". O adesivo será utilizado em cerca de 33 mil táxis que circulam no Rio de Janeiro, de acordo com o Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ), responsável pelo programa. A medida pretende dificultar a ação de táxis piratas no estado.

“O novo selo traz mais segurança ao cidadão Fluminense, aos profissionais e aos turistas que chegam ao Rio. Ele garante que aquele profissional está regularizado pelo estado”, afirmou o deputado André Ceciliano, presidente da Alerj. Para o governador do Rio, Cláudio Castro, o selo faz justiça com os profissionais que pagam os seus impostos devidamente. “Quando defendemos os taxistas, defendemos o estado, Esses profissionais contribuem com o desenvolvimento econômico do estado. Esse selo é mais do que um adesivo, ele faz justiça social”.

Presidente da Comissão de Transportes da Alerj, o deputado Dionísio Lins (PP) disse que os táxis poderão ser cadastrados a partir da próxima semana. “Vamos começar com dois ônibus itinerantes do Ipem nos aeroportos Santos Dumont e Galeão, além de um ponto de cadastro na rodoviária Novo Rio. A ideia é priorizar os táxis que transportam turistas, para que eles se sintam mais seguros ao circular no estado”, justificou o parlamentar.

Ande de Táxi Legal

De acordo com Rogério Berruezo, diretor técnico do órgão, o novo selo terá sete itens de segurança para evitar possíveis fraudes, e sua identificação só poderá ser feita por fiscais da Diretoria de Táxis do Ipem/RJ, que utilizarão equipamentos com luz ultra-violeta para realizar a leitura do código de barras e demais lacres de segurança impressos no selo.

“O novo selo será afixado do lado direito do pára-brisa dianteiro do veículo, facilitando a identificação por parte do usuário de que se trata de um veículo legalizado. Com esse selo, tenho certeza que será quase impossível algum tipo de fraude, já que ele também se desfaz caso haja a tentativa de ser retirado do local onde foi colado”, garantiu Rogério.

Para impedir que veículos circulem ilegalmente ou com uma dupla autorização, o Ipem passará a se basear em um cadastro único com todos os dados dos proprietários dos veículos, que serão fornecidos pelas prefeituras. “O selo vai separar o joio do trigo”, disse o taxista da cooperativa 01, Maurício Gomes.