Rio

Jornalista é vítima de truculência de seguranças ao tentar questionar governador

Repórter do jornal O Globo foi empurrado ao tentar ouvir Cláudio Castro sobre realização da Copa América no estado

Zó Guimarães/Folhapress
Credit...Zó Guimarães/Folhapress

Um repórter do jornal "O Globo" foi vítima de ação truculenta de seguranças nessa quarta-feira (3) ao tentar questionar o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), em um evento na zona norte da capital fluminense.

Na saída da quadra da escola de samba Salgueiro, Rafael Nascimento foi empurrado pelos seguranças e impedido de se aproximar de Castro para fazer pergunta sobre a realização da Copa América no Rio.

Imagens divulgadas em redes sociais mostram o momento em que o jornalista é puxado pelo braço ao tentar abordar o governador.

O governo Cláudio Castro afirmou, em nota, que "se desculpa" pelo que classificou como "incidente com o repórter" na saída do evento.

O jornal "O Globo" relatou ação truculenta também em momento anterior ao mostrado nas imagens.

"Parte da ação dos seguranças foi gravada por um participante do evento e divulgada em redes sociais. Ela mostra os agentes criando uma barreira para impedir o acesso ao governador", diz.

"Num momento anterior, não filmado, o profissional relata ter sido puxado pelo pescoço e pelo braço por um dos seguranças, que o impediu de fazer perguntas. Castro seria questionado sobre a decisão do Rio de Janeiro de sediar a Copa América com a iminência de uma terceira onde da Covid", completou o periódico.

A ação dos seguranças ocorreu após evento marcado por aglomeração e sambas.

O jornal O Globo disse ainda que "repudia a ação truculenta e qualquer tentativa de impedir agentes públicos de prestar contas à sociedade sobre temas de interesse coletivo".

Apesar de ter pedido desculpas pelo episódio, o governo Cláudio Castro disse que "não houve qualquer tipo de agressão ao repórter".

"Não havia previsão de entrevistas, e nem era permitida a presença de jornalistas naquele local", afirmou.

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, Castro assumiu o cargo devido ao processo de impeachment de Wilson Witzel (PSC) e se filiou ao PL em maio. (Folhapress)