Rio

Construção de novas embarcações para a Marinha pode gerar empregos no Rio

Expectativas de negócios foram apontadas em visita da Comissão de Indústria Naval da Alerj a empresa do setor

Divulgação/Célia Jordão
Credit...Divulgação/Célia Jordão

A perspectiva de geração de empregos com a construção de fragatas e navios-patrulha para a Marinha nos estaleiros do estado animou a Comissão Especial de Indústria Naval e Offshore da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), presidida pela deputada Célia Jordão (Patriota). A possibilidade de negócios em território fluminense foi apontada nessa segunda-feira (31), durante visita técnica à Emgepron e ao Cluster Tecnológico Naval, no Centro do Rio.

Na apresentação, representantes da empresa pública que faz a gestão de projetos navais informaram que a Marinha precisa de 12 fragatas. Dessas, quatro já estão sendo construídas em Santa Catarina, com até 40% de contratação de conteúdo local. As demais obras podem ser trazidas para o Rio de Janeiro, com potencial contratação de profissionais no estado.

"Temos a capacidade de inteligência e de produção aqui, e 90% do comércio acontece pelo mar. Trazer essas obras para cá demanda um esforço conjunto nosso e do Governo do estado. A economia do mar é fundamental para o desenvolvimento do Rio de Janeiro, que tem plena condições de se reestruturar para crescer”, afirmou o diretor-presidente da Emgepron, almirante Edesio Teixeira.

A deputada Célia Jordão ressaltou que o trabalho da comissão tem sido justamente fazer a interlocução de atores do setor com o Governo, para contribuir na elaboração de um plano de gestão regional que impulsione a economia do mar no estado. "Na visita ao Cluster Tecnológico, vimos boas perspectivas com a construção dessas novas fragatas e navios-patrulha, que vem ao encontro com tudo que a comissão busca, que é a geração de trabalho e renda para o estado do Rio de Janeiro", disse a deputada. Também estava presente na visita o deputado Waldeck Carneiro (PT), membro da comissão.

Ex-comandante da Marinha, o almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior destacou que é urgente que lideranças políticas se empenhem na retomada da indústria naval no Rio de Janeiro. "Não temos mais tempo a perder. Ficar inertes é um risco enorme para o desenvolvimento do nosso país. É uma situação de segurança econômica. É preciso haver investimento em ciência, educação e presença do estado para mudança desse momento. Do contrário, as grandes empresas vão continuar indo embora. Sem mobilidade, sem segurança e sem investimentos, não têm empregos", alertou.