Rio

LA FIORENTINA ACABOU? FAKE NEWS

Site da conhecida imobiliária Sergio Castro Imóveis, afirma que sim

Foto; Acervo JB
Credit...Foto; Acervo JB

O dono da imobiliária, o empresário Cláudio Castro, agora, está investindo em comunicação. Criado há pouco mais de dois anos, o site de notícias da empresa é focado em matérias sobre o Rio e tem recursos públicos como principal fonte de renda. A matéria do site afirma que o tradicional restaurante do Leme “fechou suas portas”. Sem entrar em contato com a administração de um dos mais icônicos restaurantes do Rio, diz que “dívidas e disputa com o Banco Cédula fecharam o restaurante".

O responsável pela gestão da Fiorentina, José Braga, disse ao JB que a decisão de fechar é temporária, em decorrência da pandemia que gerou pesados prejuízos à empresa: “causou-nos espanto o site do empresário Cláudio Castro, que nos conhece tão bem, escrever que dívidas e disputa com o Banco Cédula fecharam o restaurante. Além de termos ficado fechados por quase seis meses, na reabertura, o faturamento caiu 60%. Decidimos, então, desativar, temporariamente, o restaurante para, em primeiro lugar, parar os prejuízos e, assim, tomarmos com calma, até setembro, a decisão final, ou seja, se fechamos definitivamente, ou não. Tudo vai depender do comportamento e recuperação do setor de gastronomia da cidade. Mas por enquanto estamos, reitero, temporariamente fechados. E por conta, exclusivamente, da pandemia, fomos obrigados a demitir funcionários que trabalharam no restaurante por mais de 20 anos. Pagamos todos os salários, e agora iremos acertar as rescisões. Pode ser que fechemos definitivamente, assim como mais de mil restaurantes fecharam no Rio, tais como Astor, Degrau, dentre centenas de outros estabelecimentos importantes da cidade. Estamos analisando todas as possibilidades. Até mesmo nos instalarmos em um shopping que nos ofertou espaço. Estamos analisando. Mas nos causou surpresa a desinformação do site da Sergio Castro Imóveis e, pior, sequer entraram em contato com a gente. Não é assim que se faz jornalismo e não é assim que se conquista confiança de leitores”, disse Braga.

Quanto à disputa sobre imóvel, “existe uma ação de cobrança do banco Cédula, conhecido no mercado como “agiotas legalizados”, e que causou prejuízo a milhares de investidores em Campos-Rj. Em ação movida pelo Ministério Público, a Justiça deu ganho de causa aos investidores que foram lesados pelo Banco Cédula" (clique no link: https://www.jb.com.br/economia/2020/09/1025798-agiotagem-legalizada--banco-cedula-perde-acao-milionaria-por-estelionato-em-campos.html) "Reconhecemos uma dívida de R$ 1, 5 milhões e o banco, dirigido por Franklin Pereira Filho, cobra R$ 9 milhões. O sr. Cláudio Castro, dono da Sergio Castro e que comanda o site, conhece muito o Franklin. Sergio Sender, advogado do Banco Cédula, é conhecido por ter muita influência nos tribunais. Ainda assim, ainda teremos um outro desfecho desse caso”, sobretudo quando a justiça tomar conhecimento do histórico do diretor do banco Franklin Pereira Filho”, concluiu Braga.

A matéria do site da Claudio Castro Imóveis, segundo Braga, ainda traz erros grosseiros, misturando a Fiorentina com Bar Lagoa, que é de propriedade de uma investidora que não tem nenhuma relação societária com a Fiorentina. Procurada, a investidora não quis se pronunciar, afirmando que “o problema da Fiorentina não diz respeito a ela e que não é a primeira vez que o site da Sergio Castro Imóveis comete esses equívocos grosseiros, que atribui à inexperiência de quem escreveu a matéria”, concluiu.

LEIA TAMBÉM

ARTISTAS PEDEM TOMBAMENTO DA FIORENTINA