Rio

Alerj dá posse ao governador do Rio de Janeiro Cláudio Castro

.

Foto: Thiago Lontra
Credit...Foto: Thiago Lontra

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) deu posse, neste sábado (01/05), ao governador Cláudio Castro, para exercer o mandato até dezembro de 2022. A cerimônia ocorreu no dia seguinte ao impeachment do ex-governador Wilson Witzel, destituído do cargo por crime de responsabilidade pelo Tribunal Especial Misto. Castro foi eleito vice-governador do Rio nas eleições de 2018 e atuava como interino desde o afastamento de Witzel em agosto de 2020.

Na abertura da sessão solene, foi feito um minuto de silêncio em memória das vítimas da pandemia da covid-19. O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), reforçou a importância da união entre os Poderes da República em prol da sociedade fluminense, no momento em que o estado bate recordes negativos: o Rio de Janeiro tem um dos maiores índices de desempregados do Brasil e registrou, em abril, o maior número de mortes por covid em um mês desde o início da pandemia.

"Essa situação só mudará se houver a união de todos. Da sociedade civil organizada, dos estados, dos municípios, do governo estadual, prefeituras, poderes legislativo e judiciário, e também do governo federal", afirmou.

Em seu discurso de posse, Castro lamentou as mais de 43 mil vidas perdidas com a pandemia e destacou a necessidade de uma boa relação como Legislativo.

"A população exige um governo sólido, sustentável, de diálogo; um governo que estimule a geração de empregos, que ofereça saúde e segurança; que invista na educação dos nossos jovens e que trabalhe em conjunto com todos os poderes", disse.

O governador anunciou compromissos de sua gestão, citando a disposição de ampliar a imunização da população contra a covid-19 e o número de leitos nos hospitais. Também se comprometeu com um "pacto pela recuperação econômica". Afirmou que pretende iniciar este mês o pagamento do auxílio emergencial aprovado pela Alerj, Supera Rio, e anunciou o lançamento do programa de segurança pública Bairro Seguro.

União de esforços pelo Rio de Janeiro

Ainda em seu discurso, o presidente Ceciliano destacou os esforços da Alerj para apoiar o estado, como a devolução de R$1,5 bi para o Estado investir em áreas prioritárias, como Saúde, Segurança e Educação e a aprovação do auxílio emergencial Supera Rio. O parlamentar também lembrou a importância de o Governo Federal apoiar os esforços de desenvolvimento do estado e aproveitou para reforçar, num pedido ao ministro da Economia Paulo Guedes, a necessidade de renovação do Regime de Recuperação Fiscal em condições mais favoráveis do que as previstas na Lei Complementar 178.

“De 2017 até 2020, quando o regime deveria ter sido renovado, o Rio conseguiu aumentar a sua receita em 18% e reduzir suas despesas com pessoal em R$ 1,1 bilhão. Entretanto, isso não garantiu a renovação do acordo”,finalizou.

Trajetória política

Filiado ao PSC, o governador Cláudio Castro tem 42 anos, é advogado, católico e autor de dois álbuns de música religiosa. Castro entrou na política em 2004, quando foi chefe de gabinete do então vereador e hoje deputado Márcio Pacheco(PSC).O deputado presenteou o governador com uma réplica do carro que Castro usava em suas campanhas no início da vida política.

“Eu conheço muitas qualidades do nosso governador, uma delas é que ele sabe dirigir muito bem. É um presente para que vossa excelência se lembre da nossa trajetória e dirija o Estado do Rio com a mesma maestria que dirigia esse carro há quase 20 anos”, disse.

Castro se elegeu vereador, em 2016, com 10.262 votos e assumiu seu primeiro mandato na Câmara Municipal do Rio. Em 2019, com 40 anos, Castro foi empossado como mais jovem vice-governador fluminense da história.

Participaram da cerimônia, além de parlamentares estaduais e federais, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ),desembargador Carlos Henrique Figueira; o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Rodrigo Melo do Nascimento; os secretários da Casa Civil, Nicola Miccione, de Governo, André Lazaroni, e de Justiça, Sérgio Zveiter; entre outras autoridades