Rio

Prefeitura inaugura Espaço Cazuza para acolher crianças

Local contará com proposta inovadora e atenderá a crianças da primeira infância, entre 0 e 8 anos

Foto: Beth Santos/divulgação
Credit...Foto: Beth Santos/divulgação

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e a secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro, inauguraram, nesta quarta-feira (24), o Espaço Cazuza, em Laranjeiras, um novo local para cuidar das crianças acolhidas pela Prefeitura. O lugar, que já foi endereço da Sociedade Viva Cazuza, é o mais novo equipamento voltado exclusivamente para o atendimento à primeira infância, que compreende crianças de 0 a 8 anos.

"É com muita alegria que entregamos este espaço, cuidando de uma nova geração de crianças que precisam tanto da nossa atenção e carinho. Não dá para olhar esses bebês lindos como uma estatística. A gente tem que olhar para a história, para a vida de cada um deles. Isso diferencia muito a ação da Secretaria de Assistência Social. Você pode até construir uma política pública em escala, mas no final, vai olhar para o drama de cada indivíduo que aqui está", afirmou o prefeito.

No espaço, funcionarão o Centro de Formação para a Primeira Infância e as unidades de acolhimento Ana Carolina e Bia Bedran, que foram transferidas de outros bairros. O centro de formação desenvolverá um trabalho inédito na Prefeitura do Rio, voltado para os profissionais da Assistência Social envolvidos nos cuidados com essa faixa etária. O trabalho será multidisciplinar e inspirado na abordagem Pikler, desenvolvida pela pediatra austríaca Emmi Pikler no pós-guerra e considerada referência mundial no assunto.

"Além desses dois abrigos, nós estamos inaugurando o centro de pesquisa Pikler, que é uma filosofia de vida para a criança. A cidade do Rio inaugura esse trabalho no Brasil, feito na Europa inteira e que aqui alguns poucos espaços fazem. É simplesmente entender que a criança tem que ser tratada para ser feliz e amada. É tratar o acolhimento com amor, é isso que a gente inaugura hoje", disse Laura, que ainda complementou: "Pelo Observa, que é o sistema nacional da primeira infância, 28% das crianças da cidade do Rio, de 0 a 5 anos, vivem uma situação domiciliar de pobreza, e 70% das crianças que recebem o Bolsa Família são de 0 a 5 anos. Por isso, a insistência para que a gente possa construir uma cidade melhor, com futuro para estas as crianças. O Espaço Cazuza vai estar sempre abençoado por aquele que foi um dos grandes artistas do nosso país".

As duas unidades contam com 33 vagas: 20 para a chamada primeiríssima infância (0 a 3 anos) e 13 para crianças de 4 a 8 anos, inclusive grupos de irmãos. Um convênio com o Clube Fluminense, em Laranjeiras, vizinho ao espaço, possibilitará que as crianças maiores usufruam gratuitamente do clube.

Proposta inovadora

A abordagem Pikler promove o estabelecimento de vínculos entre cuidadores e crianças, e o desenvolvimento da motricidade livre, com brinquedos e objetos que estimulam a atenção das crianças, fazendo com que elas ganhem posições e movimentos de forma espontânea. O trabalho com a filosofia Pikler foi elogiado por Sérgio Luiz Ribeiro de Souza, juiz da 4ª Vara Regional da Infância, Juventude e Idoso, presente na inauguração.

"É com muita alegria que o poder judiciário vê esse espaço, atendendo a priorização absoluta do mandamento constitucional da criança e do adolescente. Temos aqui um trabalho para a primeira infância, o momento da vida que é a maior janela de desenvolvimento do ser humano. Esse trabalho com método Pikler é muito inovador, um estudo muito aprofundado. Porque não basta só o coração, mas da técnica também, senão corremos o risco de cair no amadorismo. E nossas crianças e adolescentes merecem nosso coração, amor e profissionalismo".

Nessas unidades, cada uma tem seu cuidador ou cuidadora de referência, ou seja, cada criança sabe quem é o adulto com quem pode contar. A abordagem começou a ser implantada na unidade Ana Carolina, que funcionava em Ramos, e o objetivo da Prefeitura do Rio é transferi-la para todas as demais.

O Centro de Formação da Primeira Infância conta com auditório, sala de recepção e sala de reunião. Serão formados todos os funcionários das unidades da Assistência Social que lidam com crianças, municipais e conveniadas, e do programa Família Acolhedora. A formação inclui desde assistentes sociais, cuidadores e educadores a motoristas e profissionais de limpeza, e será realizada por meio de encontros com palestras e rodas de conversa.

As formações serão aplicadas pela coordenadora do centro, Aline Peçanha, e em parceria com a Rede Pikler Brasil, que disponibilizará profissionais. Ao todo, a Assistência Social possui 200 funcionários em 14 unidades de acolhimento para a primeira infância, e 150 famílias no cadastro do programa Família Acolhedora. A primeira formação, para 40 novas famílias que vão integrar o programa, começa já nesta quinta-feira (25), por enquanto no formato online.

O sobrado onde fica o novo Espaço é o mesmo que abrigou a Sociedade Viva Cazuza. Ele foi doado para a Prefeitura por Lucinha Araújo, mãe do cantor e compositor brasileiro que dá nome à unidade. O artista Tomaz Viana, o Toz, especializado em espalhar cores pelos muros da cidade, abraçou a causa e está desenvolvendo uma nova identidade visual para o lugar. Seus trabalhos estão registrados em bairros como Centro, Copacabana e Leblon.

Num dos portões do Espaço Cazuza, Toz grafitou um de seus personagens clássicos, o Vendedor de Alegria, inspirado nos ambulantes que oferecem bolas nas praias. O lugar também receberá grafites na parte interna, local de brincadeiras das crianças. Um coletivo de artistas dará novas cores aos muros externos.