Um voo atrasado de R$ 687 milhões

Obras no tom jobim não cumprem cronograma e colocam em risco eventos esportivos no país i niciadas em 2008 para que o aeroporto internacional antônio carlos jobim, na ilha do governador (zona norte) suporte um trânsito de 3 milhões de passageiros a mais, as obras estão longe do fim. às vésperas dos jogos mundiais militares (2011), da copa das confederações (2013) e da copa do mundo (2014), uma das alterações mais importantes, a ampliação do terminal de cargas, só chegou a 35% do previsto.

A informação foi divulgada pelo relatório de obras do programa de aceleração do crescimento (pac), que constatou paralisação e atraso nas obras dos principais aeroportos do país. ao todo, o investimento no tom jobim chega a r$ 687,3 milhões.

Além do atraso na conclusão nas obras do terminal de cargas, as intervenções previstas para os terminais de passagei ros 1 e 2 também não foram concluídas.

No terminal 1, a reforma foi feita em mais de 40 banheiros e agora segue em escadas rolantes e elevadores. já no terminal 2, a obra é maior. no lugar dos 48 pontos de check-in atuais, haverá 131.

– metade do terminal 2 continua sem operar – denuncia o deputado federal e integrante da comissão de turismo da câmara, otávio leite (psdb). – o tom jobim não é guarulhos (sp), que não tem condição de suportar um aumento de demanda. no galeão, as obras estão com um atraso impressionante. precisamos acabar logo essas obras e explorar o potencial que temos.