UPP reduz as despesas dostraficantes

Rio

DROGAS

Apesar de venderem menos, eles não gastam com armas e soldados em favelas ocupadas pela PM

Caio de Menezes

Apesar deterem reduzido sensivelmente o poderioe a influênciado tráficodedro- gas nas12 favelasem quejá foraminstaladas, asUnida- desde PolíciaPacificadora (UPPs) ajudaram também os traficantes a cortarem seus gastos, . – Onde háUPP, embora o volume da vendade drogas tenha diminuído, os donos do morro ganham, proporcio- nalmente, maisdinheiro. Não precisam trocar mais tiro com ninguém,pagar armei- ros ousoldados. Osviciados sentem-se mais seguros, sem o risco de tiroteios. A única tristeza dos traficantes é pela proibição dos bailes funk, com os quais lucravam até R$ 300 mil em uma noite – disse umagente daDelegaciade Combate às Drogas (Dcod). Para Paulo Storani, pesqui- sador doInstituto Universi- tário de Ciências Policiais da Cândido Mendese ex-capi- tãodo BatalhãodeOpera- ções Especiais (Bope) da Po- lícia Militar,o aumentoda margem de lucro do comércio ilegal de drogas pode ser cre- ditado àpresença depoli- ciais. – Nas comunidades pacifica- das, o tráfico não paga aos po- liciaispara ficaremafastados dasfavelas.Os montesdedi- nheiro pagos nos arregos tive- ramfim, reduzindoosgastos dos criminosos – afirmou. Procurados, aSecretaria es- tadual de Segurança Pública e o comandante-geral das UPPs coronel RóbsonRodrigues da Silva, não comentaram as de- clarações.

O lucro em números

Para ter uma ideia do lucro e das despesas dos traficantes do Rio, basta analisar o estudo “A Economia do Tráfico na Ci- dade do Riode Janeiro: Uma Tentativa de Calcular o Valor doNegócio”, daSub-Secreta- ria de Estudos Econômicos, vinculada à Secretaria esta- dual deFazenda. Segundoo documento, de autoria de Sér- gio Ferreira e Luciana Velloso, publicado em dezembro de 2008,as quadrilhasfaturam entre R$ 316 milhões e R$ 633 milhões por ano no comércio de maconha, cocaínae crack. Só areposição dearmas ea comprade produtoscustam entre R$ 121 milhões e R$ 218 milhões por ano. O lucro gira- ria em torno de R$ 130 milhões em favelas não ocupadas pela Polícia Militar.

300

reais chegam a lucrar os traficantes nos dias de baile funk

PROVIDÊNCIA

– Soldados do Bope abrem caminho para a ocupação

633

de reais arrecadaram as bocas em 2007, antes das UPPsUrbano Erbiste - 22/3/2010

mil milhões