Festival de Contadores de Histórias

O festival reúne no CCBB atores e grupos de contadores de histórias com programação gratuita voltada para o público adulto e infantil

I FESTIVAL DE CONTADORES DE HISTÓRIAS - Voltado para crianças e adultos, o festival reúne nomes importantes como José Mauro Brant, Bia Bedran, os Tapetes Contadores de Histórias, Augusto Pessôa e tem por objetivo preservar a tradição milenar da arte de contar histórias, um passaporte para mundos e culturas distantes, com personagens imaginários que encantam as pessoas há mais de mil anos. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66, Centro ( 3808 2070 / 3808 2254). Sáb. e dom., das 10h às 18h. Grátis. 

CONTAÇÃO PARA FAMÍLIA/PROGRAMAÇÃO DE SÁBADO

Festa da bicharada. Com o grupo Mil e Umas... Contadores de Histórias. Contos populares sobre a esperteza, a sabedoria e a malandragem dos animais da nossa terra, como O galo e o rei, O sapo da boca grande, A raposa e a mala e Os ovos misteriosos. O grupo utiliza música, efeitos rítmicos, alguns recursos visuais (bonecos e adereços) e muita participação dos ouvintes. (sáb., às  10h)

Uma história puxa a outra. Com Benita Prieto. No repertório contos populares e autorais, como as histórias de medo de sua autoria As armas penadas e A feiticeira do Rio. Benita Prieto contadora de Histórias do Grupo Morandubetá é idealizadora do Simpósio Internacional de Contadores de Histórias. (sáb., às  11h)

Teatro em cordel. Com Edmilson Santinni. Repertório variado de histórias de sua autoria, como a do Pererê - Saci príncipe de uma perna só e legítimo guardião do reino de São Sarué e Uma lenda do Pau Brasil. Edmilson Santinni é ator, escritor, cordelista, nascido em Pernambuco.   (sáb., às  12h)

O bufão do sultão. Com Fátima Café. A irmã de Sherazade sonha ser contadora de histórias como a irmã. Para tanto, resolve narrar as histórias das 1001 noites. No entanto, ao começar a primeira narrativa percebe que se esqueceu de vários personagens. A fim de concluir o relato, ela começa a improvisar e pede ajuda ao público. Fátima Café narra contos populares, lendas e mitos utilizando diferentes recursos cênicos, como expressão corporal, adereços e bonecos de diferentes tamanhos.  (sáb., às  13h)

Interiores – Histórias do bicho-homem. Com os Contadores de Histórias do CCBB Educativo. Uma raposa resolve testar a bondade do homem e se surpreende com o seu temperamento. Um homem salva um peixe mágico, mas quando a sua mulher fica sabendo começa a difícil tarefa de satisfazer todos os seus desejos. Dois indivíduos por pura falta de comunicação acabam indo para a justiça resolver o desvio de um riacho que passava em suas propriedades. (sáb., às  14h)

Palavras andantes. Com Os Tapetes Contadores de Histórias. Belos painéis e objetos criados no Brasil e Peru, cheios de detalhes, bolsos e surpresas, servem de cenário a fábulas e contos fantásticos da América Latina. Edison Mego e Warley Goulart narram: O espelho mágico (conto popular brasileiro, Luís da Câmara Cascudo), A agulha mágica (Cláudia Macchi, Argentina), Qual o sabor da lua? (Michael Grejniec, Polônia) e Como o sol passou a brilhar no mundo (conto tradicional africano). (sáb., às  15h) 

Os causos da Dona Zaninha. Com Susana Nascimento. Dona Zaninha é uma mineirinha muito simpática que com seu bandolim e humor conta causos de amor, de assombração, de padres e beatas, enfim, de aprontação daquele povo da sua terra. Um apanhado de histórias, músicas, expressões, crenças da cultura popular mineira. (sáb., às  16h).  

CONTAÇÃO PARA ADULTOS

Histórias de Nelson. Com Augusto Pessoa. Contos do livro A vida como ela é do grande autor e dramaturgo Nelson Rodrigues que mostram um pouco da tragédia carioca.(sáb., às  17h)  

Mulher é outra coisa. Com Tatiana Henrique. Três mitos centrados no feminino e suas escolhas: Lilith, a primeira mulher de Adão; Iansã, entre Ogum e Xangô; Medéia, uma bárbara na Grécia. Misturando as linguagens da contação e da performance, as histórias nos trazem figuras ancestrais que ecoam ainda na atualidade. (sáb., às  18h) 

CONTAÇÃO PARA FAMÍLIA/PROGRAMAÇÃO DE DOMINGO   

A árvore que contava sonhos. Com Ilana Pogrebinschi. Como uma avó que contempla, acompanha e conta sabedorias em forma de metáforas, uma velha árvore inspira sonhos e histórias orientais. Ilana Pogrebinschi utiliza bonecos, máscaras, adereços e canções tocadas ao violão e flauta transversa que completam o tom ancestral e delicado do espetáculo. (dom., às  10h) 

Três histórias para brincar. Com Joaquim de Paula. O espetáculo será montado com três histórias de autoria do contador: O barulho diferente na casa nova do coelho, História do bicho Curututu e A vida boa na lagoaEm cena Joaquim utilizará sanfona de oito baixos, rabeca, bonecos e máscara. (dom., às  11h) 

Como ouvir os clássicos?. Com o  Grupo Mosaicos. O grupo apresenta contos clássicos por meio do diálogo entre a música e a teatralidade. Na apresentação as histórias: Panelinha de macarrão, João Pato e Os corcundas(dom., às  12h) 

Os comedores de palavras. Com a Cia. Dos Jovens Griôts.  O menino entristecido decide fugir para o país dos bichos comedores de palavras porque seu tambor se calou. Mas para chegar ao seu destino ele terá encontros enigmáticos com personagens inusitados como a senhora que viu tudo neste mundo, o senhor que guarda todas as historias na cabeça e a senhora que tem alegria de inventar palavras. (dom., às  13h)  

Lá vem histórias. Com Bia Bedran. Acompanhada por Guilherme Bedran (violino e bandolim) e por seu violão João Sebastião, Bia conta histórias que apresentou na série Lá vem Histórias da TV Ratimbum - TV Cultura SP, além de apresentar contos dos seus quatro últimos livros: O sapateiro e os anõezinhosUma história sem fimA menina do anel e O palhaço Biduim(dom., às  14h)

De gestos e de palavras. Com Jiddu Saldanha. No Repertório, Assim é a vida, um clássico da mímica narrada totalmente em silêncio e depois recontada com a voz da plateia. A História de Laika, a cachorra que em 1953 foi enviada ao espaço, tornando-se o primeiro ser vivo a gravitar fora da atmosfera terrestre, entre outras histórias. (dom., às  15h)

Um Brasil de histórias. Com José Mauro Brant e o violonista Fábio Nin. Acompanhado pelo violonista Fabio Nin, o ator, cantor e escritor José Mauro Brant conta e canta seu repertório de histórias e canções populares brasileiras, fazendo do espetáculo uma diversão para crianças de todas as idades. (dom., às  16h)

CONTAÇÃO PARA ADULTOS

Histórias e causos bem mineiros. Com Maria Clara Cavalcanti. No repertório contos os populares Desejos ridículosA mentira e a verdadeDe morte! Natividade. Maria Clara Cavalcanti é contadora de histórias do Confabulando, grupo com trabalho de resgate da tradição oral, estimulando a imaginação, a criatividade, o interesse e o prazer pela leitura. (dom., às  17h) 

Roda de causos. Com CCBB Educativo e platéia. Contos tradicionais ou autorais, causos fantásticos ou verídicos, cantigas ou cantorias. Para encerrar e celebrar o “I Festival de Contadores de Histórias” o CCBB Educativo prepara um espaço para que contadores e público possam partilhar as histórias. (dom., às  18h)