Carta pela Democracia já reúne mais de 311 mil assinaturas

Documento foi firmado por empresários, ex-juízes e artistas

Foto: Epa
Credit...Foto: Epa

Uma carta em "defesa do Estado Democrático de Direito no Brasil", publicada na noite de quarta-feira (27), já reuniu mais de 311mil assinaturas, incluindo signatários entre ex-membros do Supremo Tribunal Federal (STF), artistas, empresários e banqueiros.

O documento foi lançado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e lembra que, às vésperas do início oficial de mais uma campanha eleitoral, o sistema vem sendo atacado por políticos. O texto não cita o nome do presidente Jair Bolsonaro, mas refere-se claramente a diversos discursos do mandatário.

"Neste momento, deveríamos ter o ápice da democracia com a disputa entre os vários projetos políticos visando convencer o eleitorado da melhor proposta para os rumos do país nos próximos anos. Ao invés de uma festa cívica, estamos passando por momento de imenso perigo para a normalidade democrática, risco às instituições da República e insinuações de desacato ao resultado das eleições", diz um trecho do manifesto.

Em uma clara referência às falas de Bolsonaro, o documento diz que "ataques infundados e desacompanhados de provas questionam a lisura do processo eleitoral e o estado democrático de direito tão duramente conquistado pela sociedade brasileira".

"São intoleráveis as ameaças aos demais poderes e setores da sociedade civil e a incitação à violência e à ruptura da ordem constitucional. Nossa consciência cívica é muito maior do que imaginam os adversários da democracia. Sabemos deixar ao lado divergências menores em prol de algo muito maior, a defesa da ordem democrática", acrescentam.

"No Brasil atual não há mais espaço para retrocessos autoritários. Ditadura e tortura pertencem ao passado. A solução dos imensos desafios da sociedade brasileira passa necessariamente pelo respeito ao resultado das eleições. Em vigília cívica contra as tentativas de rupturas, bradamos de forma uníssona: Estado Democrático de Direito Sempre!!!!", finaliza o texto, que pode ser assinado por qualquer cidadão.

Entre os ex-membros do STF que assinaram o documento estão Joaquim Barbosa e Nelson Jobim; já entre os artistas, estão os atores e cantores Fernanda Montenegro, Maria Bethânia, Chico Buarque, Gal Costa, Bruno Gagliasso; e os escritores Luís Fernando Veríssimo, Djamila Ribeiro e Martha Medeiros.

 

Reações de Bolsonaro

Em um evento ao lado do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, na quarta-feira (27), Bolsonaro chamou o documento de "cartinha".

"Vivemos em um país democrático, defendemos a democracia. Não precisamos de nenhuma cartinha para falar que defendemos a democracia, e que queremos, cada vez mais, nós, cumprir e respeitar a Constituição. Não precisamos, então, de apoio ou sinalização de quem quer que seja", ressaltou.

Bolsonaro falou com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada novamente sobre o tema nesta quinta e ironizou a publicação.

"Carta pela democracia? Qual é a ameaça que eu estou oferecendo para a democracia?", disse ainda criticando os banqueiros que assinaram o documento. (com agência Ansa)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais