Pesquisa: Bolsonaro tem a maior rejeição; Lula pode vencer no 1º turno

Ex-presidente tem 46% dos votos, enquanto Jair Bolsonaro chega a 29%, segundo sa Quaest/Genial

Foto: Folhapress/Monica Bergamo
Credit...Foto: Folhapress/Monica Bergamo

Pesquisa Quaest/Genial divulgada nesta quarta-feira, 11, mostra o ex-presidente Lula com chances de vitória no primeiro turno. Ele tem 46% das intenções de voto, enquanto Jair Bolsonaro, o segundo colocado, chega a 29%.

Com 46%, Lula possui mais votos que todos os outros candidatos somados (44%) e, portanto, há a possibilidade de vitória no primeiro turno. No entanto, considerando a margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos, a disputa também pode seguir para o segundo turno.

Atrás de Bolsonaro aparecem: Ciro Gomes (7%), André Janones (3%), João Doria (3%), Simone Tebet (1%), Felipe D'Ávila (1%) e Luciano Bivar (0%). A categoria 'branco/nulo/não vai votar' chega a 6%, enquanto 3% estão indecisos. Em todos os cenários considerados, Lula lidera com ampla vantagem.

Bolsonaro tem a maior rejeição entre todos os candidatos.

No segundo turno, Lula também vence em todos os cenários. Veja:

 

Cenário 1:

Lula: 54%
Jair Bolsonaro: 34%
Branco/nulo/não vai votar: 9%
Indecisos: 2%

 

Cenário 2:

Lula: 53%
Ciro Gomes: 24%
Branco/nulo/não vai votar: 21%
Indecisos: 2%

 

Cenário 3:

Lula: 58%
Simone Tebet: 17%
Branco/nulo/não vai votar: 22%
Indecisos: 3%.

A pesquisa ouviu 2.000 pessoas de 27 estados, face a face, entre os dias 5 a 8 de maio. O índice de confiança, segundo o instituto, é de 95%. A pesquisa foi contratada pelo Banco Genial e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-01603/2022.

 

Graça de Bolsonaro a Daniel Silveira afasta eleitores da direita moderada

Embates entre Bolsonaro e Judiciário interrompem tendência de crescimento, disse o diretor da Quaest, Felipe Nunes

Os embates de Jair Bolsonaro com o Supremo Tribunal Federal (STF) e com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) interromperam a tendência de crescimento da sua candidatura. Além disso, o perdão ao deputado Daniel Silveira fez Bolsonaro perder eleitores moderados de direita. É o que sugere a pesquisa Quaest divulgada nesta quarta-feira, 11.

Perguntados se o perdão ao deputado mudou a possibilidade de voto em Bolsonaro, 12% responderam que diminui e 45% que confirmou a intenção de não votar pela reeleição. O levantamento mostrou ainda que a faixa de brasileiros que desconfia das urnas eletrônicas caiu de 29% para 22% desde setembro do ano passado, quando foram organizados protestos pedindo o voto impresso.

“A graça presidencial ao deputado Silveira engajou os setores radicais da campanha, mas afastou o eleitor moderado que vinha se aproximando do presidente”, explicou Felipe Nunes, diretor da Quaest.

“Como os eleitores de Bolsonaro e Lula já estão definidos, é a faixa dos Nem-Um-Nem-Outro que vai decidir a eleição. Entre esses eleitores, 54% reprovam a ação do presidente, contra 17% que aprovam”, disse.

 

CONFIRA A PESQUISA COMPLETA

 

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais