Acareação: CPI aprova depoimento conjunto entre Lorenzoni e Luis Miranda sobre compra da Covaxin

Ministro e deputado terão que ficar frente a frente para relatarem à CPI da Covid sobre o caso Covaxin. Segundo vice-presidente da CPI, novos dados obtidos através de quebra de sigilo levaram à realização da acareação

Foto: Câmara dos Deputados / Michel Jesus
Credit...Foto: Câmara dos Deputados / Michel Jesus

A CPI da Covid divulgou nessa terça (11) que haverá a acareação entre o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni (DEM), e o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).

A acareação deve acontecer na próxima quarta-feira (18), informou a assessoria do vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Randolfe disse que novas informações adquiridas a partir de quebras de sigilos impulsionaram a realização do depoimento conjunto. O senador não quis dar detalhes sobre o que tratam exatamente esses dados.

"É urgente à luz das informações que nós temos", declarou.

A intenção é que o ministro e o deputado fiquem um em frente ao outro para falarem sobre as supostas irregularidades na negociação do imunizante indiano Covaxin pelo Ministério da Saúde.

O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que a ação acontecerá devido às diferentes versões sobre o processo de compra da vacina, com foco em um suposto documento falso, segundo a mídia.

Quando o deputado Luis Miranda e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, em depoimento à CPI disseram que alertaram pessoalmente o presidente Jair Bolsonaro sobre trâmites suspeitos na aquisição da vacina, Lorenzoni disse que as afirmações eram "mentirosas" e foram construídas para "atingir a imagem do presidente". (com agência Sputnik Brasil)